22:02 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Lançamento do míssil balistico intercontinental R-36М2 Voevoda (imagem referencial)

    Rússia pode ter testado 'Satã 2', míssil balístico mais potente do mundo

    © Foto : Ministério da Defesa da Rússia
    Defesa
    URL curta
    13550

    No ano passado, no território do cosmódromo russo de Plesetsk, localizado na cidade de Mirny, foi construída infraestrutura necessária para realizar testes do sistema de mísseis que são lançados de silos, comunicou nesta quarta-feira (31), o vice-ministro da Defesa, Timur Ivanov.

    "No 1º complexo de testes principal da cidade de Mirny foram construídos objetos para realização de testes do sistema perspectivo de mísseis de baseamento em silos", afirmou Ivanov.

    O ministro não especificou de que míssil se trata, contudo, os testes podem ter envolvido o míssil balístico Sarmat. Além do mais, foi anunciado antes que os primeiros testes do novo míssil deviam vir à tona até o fim de 2017. Seus resultados não foram divulgados publicamente.

    Anteriormente, o comandante da força estratégica, coronel-general Sergei Karakaev, comunicou que a Rússia planeja adotar mísseis pesados Sarmat, que são lançados de silos e usam combustível líquido, entre 2019 e 2020.

    O Sarmat substituirá os mísseis balísticos RS-20 Voevoda (apelidado pelos países ocidentais de Satã), que foi adotado em serviço ainda em 1980. Até hoje em dia, o RS-20B é considerado o míssil balístico intercontinental mais potente que a Rússia tem a seu dispor e que continua demonstrando sua alta eficácia apesar da idade. 

    Em termos tecnológicos, o Voevoda não possui análogos entre os sistemas de mísseis estrangeiros. 

    O desenvolvimento do Sarmat se iniciou em 2011. 

    Mais:

    Lançamento de Sarmat: Como testam o míssil 'Satã 2' russo
    'Filho de Satã' já chegou: Rússia realizará testes do míssil balístico Sarmat
    Tags:
    testes, Voevoda, RS-28 Sarmat, míssil balístico, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar