12:48 21 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Navios ucranianos em Sevastopol, Rússia

    Moscou exige resposta clara por parte de Kiev sobre armamentos ucranianos na Crimeia

    © Sputnik / Sergei Malgavko
    Defesa
    URL curta
    7182

    A proposta feita a Kiev pelas autoridades russas para retirar seu material militar da Crimeia é uma proposta oficial que não pressupõe declarações adicionais, declarou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

    Mais cedo, o chanceler ucraniano Pavel Klimkin disse que Kiev não havia recebido notas oficiais de Moscou com tais propostas. Ele acrescentou que a Ucrânia não vai fazer nada que possa debilitar sua posição política ou jurídica.

    "Sem dúvidas, pode haver documentos oficiais, sobretudo notas diplomáticas, mas, em geral, a declaração de um chefe de Estado é bem difícil não ser considerada como uma proposta oficial", declarou Peskov a jornalistas, acrescentando que Kiev tem que dizer "sim" ou "não", e as autoridades russas vão esperar pela resposta.

    No entanto, o analista entrevistado pela Sputnik opina que Kiev não irá retirar seus armamentos da Crimeia.

    "Do ponto de vista de Moscou e de Putin… este é um passo em direção à diminuição da tensão, pelo menos foi assim que soou. Mas aqui [na Ucrânia] isto é considerado como um jogo astuto de Putin", comentou Mikhail Pogrebinsky.

    Segundo o cientista político Pogrebinsky, a recusa de Kiev de retirar seu material militar da Crimeia não pode ser vista como um "agravamento das relações" entre a Ucrânia e Rússia, já que depois da aprovação da lei sobre a reintegração de Donbass, destacou o analista, não há mais nada que possa deteriorar estas relações.

    O presidente russo Vladimir Putin afirmou que a Rússia está disposta a entregar a Kiev os navios e aviões ucranianos que ficaram na Crimeia, embora estes se encontrem em estado lastimável.

    Mais:

    General ucraniano receia receber navios da Crimeia
    Navios ucranianos que permanecem na Crimeia aparentam estar em estado lamentável (VÍDEO)
    Tags:
    navios de guerra, Kremlin, Vladimir Putin, Dmitry Peskov, Crimeia, Rússia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik