14:07 20 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Navio de mísseis finlandês da classe Hamina no porto de Jutlândia

    Finlândia acelera modernização naval ao comprar sistemas de torpedos da Suécia

    © AFP 2018/ HENNING BAGGER
    Defesa
    URL curta
    1 0 0

    A Finlândia aprovou contrato de 276 milhões de dólares (916 milhões de reais) para melhorar seus navios de ataque da classe Hamina. Como parte da renovação, sistemas de torpedos serão comprados da empresa sueca SAAB.

    O Comando de Logística recebeu ordem do ministro da Defesa finlandês, Jussi Niinisto, para assinar contrato com a produtora de armas nacional Patria Aviation como parte do desenvolvimento do programa naval.

    A renovação do navio da quarta classe Hamina, construído entre 1998 e 2006, vai garantir a prontidão de combate suficiente nos anos 2020, depois do afastamento dos navios da classe Rauma e antes de serem usadas as corvetas de última geração Squadron 2020, comunicou a emissora nacional da Finlândia Yle.

    O objetivo do programa é prolongar o funcionamento das embarcações da classe Hamina até 2035 com tempo operacional independente e capacidade aprimorada tanto para atacar submarinos, como para se proteger. A embarcação será equipada com os mesmos sistemas de mísseis escolhidos para as baterias de mísseis subterrâneas e quatro corvetas costeiras Squadron 2020, equivalentes a 1,4 bilhão de dólares (4,7 bilhões de reais).

    O sistema de torpedos para os navios em questão estão sendo desenhados levando em consideração as condições costeiras do mar Báltico, mas especificamente da parte finlandesa, que é extremamente rica em ilhas e ilhotas. O fornecimento foi concordado com a Administração Material da Defesa sueca e deve começar em 2023, já o acordo de empréstimos para compra dos sistemas de torpedos será assinado com a Administração para 2019-2022.

    A Marinha da Finlândia emprega 1.400 pessoas e treina cerca de 3.200 conscritos anualmente. Tem bases em Helsinque, Turku, Kirkkonummi e Raseborg e possui quatro navios de assalto rápido da classe Hamina, bem como dois minadores da classe Hamenmaa e três da classe Pansio, três navios lança-mísseis da classe Kuha e seis da classe Kiiski.

    Depois da Segunda Guerra Mundial, as Forças Armadas da Finlândia foram significativamente limitadas pelas negociações de paz em 1947, ou seja, passou a poder possuir somente 10.000 toneladas e 4.500 tripulantes, bem como foram proibidos submarinos, torpedos, mísseis e minas. Nos anos 60, as restrições foram um pouco atenuadas e canceladas no período do colapso da União Soviética. Contudo, o tamanho da Marinha finlandesa continua mais ou menos do tamanho na época da Guerra Fria.

    Navio da classe Hamina finlandês reintroduz torpedo na Marinha pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial

    A nova geração de navios de combate, conhecidos como Squadron 2020, está na fase inicial de desenvolvimento. As embarcações devem vir a ser construídas entre 2019 e 2024. O projeto custa cerca de 1,4 bilhão de dólares (4,7 bilhões de reais) com duração de ao menos 35 anos.

    Mais:

    Medo da 'ameaça russa': OTAN deve defender Suécia e Finlândia se forem atacadas
    Finlândia realiza exercício militar com 10 mil militares, caças e tanques
    Milhares de finlandeses aprendem a resistir à guerra híbrida em exercícios 'invisíveis'
    Tags:
    míssil, submarino, modernização, contrato, fornecimento, corveta, navio, Suécia, Finlândia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik