23:54 17 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Submarino nuclear russo da classe Borey Yuri Dolgoruky

    Arma perfeita com mísseis hipersônicos: tudo sobre novo submarino russo de 5ª geração

    © Foto : Sevmash
    Defesa
    URL curta
    3231

    O comandante-chefe da Marinha da Rússia, almirante Vladimir Korolev, afirmou na quarta (20) que planeja estudar o pré-projeto do novo submarino Khaski que pode substituir os existentes dos projetos Yasen e Schuka.

    Arsenal hipersônico

    De acordo com o vice-comandante da Marinha, vice-almirante Viktor Bursuk, a construção do primeiro submarino do projeto Khaski será iniciada em 2023-2024. Planeja-se que seja entregue à Marinha em 2030. O projeto promete ser revolucionário.

    A arma principal do novo submarino russo deverá ser o sistema antinavio Tsirkon dotado de mísseis hipersônicos 3M22 que já está sendo testado. Não há informações disponíveis sobre o projeto. Sabe-se só que o míssil vai conseguir voar a velocidades de Mach 5 a 10 (6 a 11 mil km/h) e vai atingir alvos a distâncias de 300 a 500 km. Hoje em dia, a Rússia possui mísseis que alcançam apenas Mach 2 a 2,5 (3 a 3,5 mil km/h).

    "As ameaças contra nós se estão tornando mais fortes, mais evidentes e mais perigosas. É preciso responder. Eu sou a favor da simbiose, para que o submarino multifuncional seja universal ao máximo. Ele deve possuir um sistema de localização e um sistema de controle armamento confiável. Especialmente em missões de longa distância. Além disso, é preciso ter a capacidade de receber instruções não só do seu próprio equipamento, mas também do espaço ou, por exemplo, da aviação", indicou o almirante Vladimir Komoedov.

    Segundo as estimativas de uma série de analistas russos e estrangeiros, os Tsirkon podem facilmente contrariar os planos da doutrina naval de Washington, que se baseia no conceito dos grupos de porta-aviões. Em particular, o observador do The National Interest Sebastian Roblin acha que os Tsirkon são mísseis muito mais perigosos do que os Granit russos.

    Silencioso e com robôs

    A diferença principal dos Khaski dos seus antecessores nucleares é que serão muito silenciosos. Planeja-se que durante a construção do submarino de 5ª geração sejam utilizados materiais compósitos que se destacam por seu pequeno peso específico, grande durabilidade e resistência às condições do meio marítimo agressivo.

    Graças à eletrônica avançada e aos algoritmos automatizados de controle do navio e das armas, o Khaski vai ser muito compacto e poderá seguir vários alvos em simultâneo. De acordo com o construtor Oleg Vlasov da empresa Malakhit, planeja-se que o submarino seja dotado de sistemas militares e civis robotizados que podem trabalhar no ar e na água.

    Poder nuclear multifuncional

    Os submarinos de 5ª geração vão começar a ser construídos após a entrega de uma série de submarinos multifuncionais do projeto 885 Yasen até 2023. O submarino Severodvinsk já está em serviço. O segundo navio, Kazan, foi lançado à agua e está passando por testes e será entregue à Marinha em 2018. Diferentemente do Severodvinsk, o Kazan foi construído com base no projeto Yasen-M e será dotado de minas, torpedos de 533 mm, mísseis de cruzeiro Kalibr-PL e dos mais potentes P-800 Oniks, destinados a ataques contra grandes alvos marítimos de superfície.

    "Uma guerra mundial é pouco provável hoje em dia. Mas a possibilidade de haver conflitos regionais, como o da Síria, é bastante elevada. Considerando esta previsão estratégica, os submarinos multifuncionais dotados de mísseis de cruzeiro das várias modificações têm uma grande importância. Eles podem operar não só contra alvos terrestres, mas também contra alvos de superfície", afirmou o ex-comandante da Frota do Norte almirante Vyacheslav Popov.

    Segundo a doutrina naval russa, estes navios vão ser a arma principal das forças multifuncionais da frota de submarinos antes da entrega do Khaski.

    De acordo com o almirante, agora a característica mais importante dos navios de guerra e das suas armas é sua universalidade. "Os portadores de mísseis de cruzeiro universais são hoje uma grande necessidade na construção da Marinha atual", afirmou Popov à Sputnik.

    Segundo os dados do Instituto de Pesquisas Estratégicas Internacionais (IISS), hoje o agrupamento de submarinos multifuncionais russo é composto por um submarino Yasen, 11 do projeto Schuka, cinco do Antei, dois Kondor e três Schuka de 2ª geração.

    Vários submarinos do Projeto 971 estão passando por trabalhos de modernização e rearmamento com mísseis de cruzeiro Kalibr-PL. Também está planejado serem modernizados até 2025 quatro submarinos do projeto Antei, que agora estão dotados de mísseis antinavio P-700 Granit, potentes, mas já obsoletos. Os lançadores Granit vão ser substituídos pelos mais modernos Kalibr e Oniks. Assim, os primeiros submarinos do projeto Khaski irão completar uma frota submarina multifuncional mais moderna e renovada.

    Mais:

    'Os mais silenciosos do mundo': submarino 'fantasma' russo pôs OTAN em apuros
    Submarino russo dispara mísseis de cruzeiro Kalibr contra Frente al-Nusra na Síria
    Tags:
    modernização, mísseis supersônicos, defesa, capacidade militar, submarino, construção, desenvolvimento, Tsirkon, Khaski, Marinha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar