03:12 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Lançamento do míssil balístico intercontinental Hwasong-15 que teve lugar na noite de 28 para 29 de novembro

    '7 passos' dos EUA para eliminar míssil da Coreia do Norte (FOTO)

    © REUTERS . KCNA
    Defesa
    URL curta
    Coreia do Norte lança mais um míssil (38)
    8124
    Nos siga no

    O último teste de míssil, efetuado pela Coreia do Norte na madrugada de 28 para 29 de novembro, prova que este país conseguiu elaborar um sistema capaz de alcançar o território dos Estados Unidos, país que conta com um sistema para repelir um ataque de mísseis balísticos intercontinentais.

    O sistema de defesa antimíssil terrestre Ground-Based Midcourse Defense (Defesa Terrestre de Médio Alcance, ou GMD, siglas em inglês) intercepta mísseis balísticos inimigos no espaço.

    Em 20 anos, Estados Unidos investiram US$ 40 bilhões (R$ 128,8 bilhões) no sistema que, desde sua entrada em 2004, conseguiu destruir ogivas táticas em seis de dez testes, indica The Wasington Post.

    Confira os "7 passos" que devem ser dados pelo GMD para interceptar míssil norte-coreano em caso de ameaça aos EUA:

    1. Coreia do Norte lança um míssil balístico intercontinental que se eleva seguindo uma trajetória parabólica. Até o momento não existem sistemas de defesa capazes de interceptar um projétil deste tipo na fase inicial do seu voo.

    2. Satélites e radares estadunidenses detectam e monitoram o míssil que deixa um traço colorido até que pare de queimar seu combustível. Um ICBM lançado da Coreia do Norte precisará de uma meia hora para alcançar o território dos EUA, enquanto 20 minutos do seu voo passarão no espaço. É nesse momento quando o GMD deverá interceptá-lo.

    3. Partes propulsoras do míssil norte-coreano se separam da ogiva ainda no espaço.

    4.  O GMD lança interceptores. Nos EUA há duas instalações desse sistema: uma no Alaska e outra na Califórnia.

    5. Foguetes de propulsão se separam do interceptor soltando do Veículo Assassino Exoatmosférico (EKV, sigla em inglês).

    6. Veículo de destruição detecta a ogiva.

    7. Veículo do interceptor ataca a ogiva, destruindo-a antes de que a bomba nuclear possa vir a detonar.

    Etapas de intercepção de um míssil balístico intercontinental pelo sistema de defesa antimíssil terrestre Ground-Based Midcourse Defense (Defesa Terrestre de Médio Alcance, ou GMD, siglas em inglês) dos EUA
    Etapas de intercepção de um míssil balístico intercontinental pelo sistema de defesa antimíssil terrestre Ground-Based Midcourse Defense (Defesa Terrestre de Médio Alcance, ou GMD, siglas em inglês) dos EUA

    A probabilidade de que o sistema GMD funcione com êxito para frustrar um ataque nuclear da Coreia do Norte é muito alta — mais de 80%. No entanto, sempre existe risco de fracasso, segundo explicou o um ex-funcionário da Casa Blanca que era responsável pela segurança nacional, Bruce W. MacDonald, citado pelo The Washington Post.

    Tema:
    Coreia do Norte lança mais um míssil (38)

    Mais:

    Escudo antimíssil da Rússia é 'capaz de repelir ataque mais poderoso da Coreia do Norte'
    Opinião: EUA estão acostumados a ser agressivos e relação com Coreia do Norte comprova
    Coreia do Norte: podemos produzir os lança-mísseis que quisermos
    Estados Unidos exortam nações do mundo a cortarem laços com a Coreia do Norte
    Coreia do Norte pode realizar novo teste nuclear nas próximas semanas, diz Seul
    Aliados de Kim Jong-un, Rússia e China condenam novo teste balístico da Coreia do Norte
    Tags:
    interceptor, ogiva nuclear, segurança nacional, míssil balístico, perigo, ameaça, espaço, sistema de defesa antimísseis, Califórnia, Alasca, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar