13:10 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Lançamento de um míssil de cruzeiro pelo sistema de mísseis costeiro Utyos da Frota do Mar Negro da Marinha da Rússia durante treinamentos (foto de arquivo)

    Opinião: Rússia é capaz de iniciar erupção do vulcão Yellowstone que pode aniquilar EUA

    © Sputnik/ Vasily Batanov
    Defesa
    URL curta
    44772

    A resposta da Rússia à saída dos EUA do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (Tratado INF) deve ser assimétrica, afirma o analista militar russo Konstantin Sivkov.

    De acordo com Sivkov, a resposta russa pode incluir a instalação de portadores de armas nucleares não tradicionais e a criação de ogivas de alta potência, informa o Rossiyskaya Gazeta, lembrando que o Congresso dos EUA concedeu 58 milhões de dólares para o desenvolvimento do novo míssil de médio alcance, o que viola o Tratado INF.

    Uma série de congressistas se manifesta contra a saída do Tratado. No caso da saída dos EUA do Tratado, a resposta russa será imediata, advertiu o presidente russo Vladimir Putin. 

    "Após o término do Tratado, retiram-se as restrições aos mísseis de cruzeiro estratégicos terrestres. A Rússia possui o KP X-101 aéreo da primeira classe[…]X-101 tem o sósia nuclear X-102. A versão terrestre baseada no X-101 é desenvolvida muito rapidamente. É perfeitamente possível estabelecer a produção de lança-misseis", acha o analista militar russo Sivkov.

    O lançador com 4 mísseis pode ser instalado em um caminhão, em uma plataforma rodoviária ou marítima. O jornal russo acrescenta que os portadores de ogivas termonucleares não tradicionais não se sujeitam às exigências de controle centralizado das forças nucleares estratégicas. Por isso, um ataque preventivo que tem como objetivo destruir os postos de controle, não pode impedir o lançamento de centenas de mísseis que ficam ao longo do território da Rússia.

    Segundo Sivkov, outro aspecto é a falta de limitações da tonelagem total de armas nucleares, o Tratado só limita a quantidade deles. Isso permite seguir o caminho da criação de uma arma inédita com centenas de toneladas de poder explosivo. 

    "A utilização de tal projétil pode iniciar processos geofísicos catastróficos no território dos EUA, como, por exemplo, a erupção do vulcão Yellowstone", afirmou o analista.    

    O portador de ogivas superpotentes pode se tornar, de acordo com ele, um míssil balístico pesado Sarmat, que pode carregar um projétil de até 10 toneladas de carga útil para qualquer ponto do planeta, ultrapassando os sistemas da defesa antimíssil. Segundo ele, outra resposta à saída do Tratado INF será o reinício de projetos soviéticos revolucionários como, por exemplo, o míssil invisível Kurier.

    Mais:

    Washington quer introduzir mais sanções antirrussas por Moscou 'violar' Tratado INF
    Representante da Casa Branca diz que Tratado INF serve para conter russos, não americanos
    Tags:
    defesa, Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), desenvolvimento, armas nucleares, violação, mísseis, resposta, Congresso, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik