10:12 23 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Submarino Krasnodar no porto de Sevastopol

    EUA e Rússia 'brincam de gato e rato' no mar Mediterrâneo

    © Sputnik/ Vasily Batanov
    Defesa
    URL curta
    11242

    O novo submarino russo Krasnodar e um porta-aviões norte-americano "jogaram ao gato e ao rato" no Mediterrâneo, escreve Julian E. Barnes. A Marinha dos EUA precisa de desenvolver a tecnologia de guerra antissubmarino, devido ao aumento da frota submarina russa, observa jornalista.

    No final de maio, o submarino russo Krasnodar deixou a costa da Líbia e mergulhou na água "quieto como um rato". Logo apareceu na costa da Síria e lançou uma chuva de mísseis de cruzeiro contra os terroristas do Daesh, grupo terrorista proibido na Rússia.

    O ataque com mísseis na Síria promoveu um dos primeiros esforços dos EUA de espiar um submarino russo desde a Guerra Fria, observa o autor do artigo do jornal norte-americano The Wall Street Journal.

    Nos dias posteriores, o porta-aviões USS George H. W. Bush, com cinco navios de guerra acompanhantes, alguns helicópteros Seahawk MH-60R e alguns aviões antisubmarino P-8 Poseidon, seguiram o submarino russo, que se dirigiu para sua base no mar Negro.

    O porta-aviões seguiu o submarino para obter informações sobre suas táticas e características técnicas.

    Durante várias semanas, o submarino russo conseguiu várias vezes escapar da "pesca submarina", que se tornou um verdadeiro desafio para os aliados ocidentais na nova era de guerra naval, diz o artigo.

    "O ressurgimento inesperado do desenvolvimento dos submarinos russos, após a desintegração da União Soviética, tornou a despertar a rivalidade submarina da Guerra Fria", diz Barnes.

    De acordo com o comandante do esquadrão 70 de helicópteros navais de ataque dos EUA, Edward Fossati, os submarinos russos se tornaram mais silenciosos, mas o jogo do gato e do rato continua em condições de igualdade, devido ao desenvolvimento de tecnologias de deteção.

    O autor acrescenta que a tripulação americana dispõe de um computador, que analisa o fundo do mar. Além disso, a bordo do navio havia três oceanógrafos que utilizam a última localização conhecida do submarino e os dados do computador para apontar no mapa os lugares onde o submarino se podia esconder.

    Graças às suas características, o Krasnodar é muito difícil de detectar, tendo sido por isso batizado de Buraco No pelos EUA e seus aliados.

    Embora os submarinos como o Krasnodar estejam armados apenas com torpedos e mísseis de cruzeiro convencionais, representam uma ameaça significativa para porta-aviões americanos: a ferramenta mais importante dos Estados Unidos para demonstrar o poder militar de Washington em todo o mundo, ressalta o colunista.

    O apoio do presidente sírio, Bashar Assad, por parte da Rússia deu ao presidente russo Vladimir Putin a oportunidade de testar mísseis de cruzeiro a bordo dos novos submarinos nos últimos dois anos e elevou as apostas para os EUA e seus aliados, assegura o autor.

    Os altos funcionários da OTAN dizem que a Aliança deve considerar novos investimentos na frota submarina e a tecnologia de "caça" debaixo do mar. Portanto, "as conclusões de um estudo realizado este ano pelo Centro para uma Nova Segurança Americana chamaram a atenção dos principais líderes da OTAN: os EUA e seus aliados estão preparados para um conflito submarino com a Rússia", declara o jornalista.

    O general Curtis Scaparrotti, alto comandante dos EUA e da OTAN na Europa, afirmou, por sua parte, que os EUA "continuam dominando o mundo submarino", mas "também devem se focar na modernização dos equipamentos e melhorar as capacidades".

    Além disso, os Estados Unidos têm que levar em conta que a Rússia também vende seus submarinos para a China, Índia e outros países, acrescenta o autor.

    Em 30 de julho, o Krasnodar voltou a sair para a superfície, no Mediterrâneo, e entrou no porto de Tartus. "A missão do submarino acabou por ser um sucesso: Moscou provou que é capaz de realizar ataques sem obstáculos na Síria com sua crescente frota de submarinos", resume Julian E. Barnes.

    Mais:

    Marinha da Rússia realiza exercícios no Pacífico em meio às tensões na Coreia (VÍDEO)
    Águas agitadas: Marinha da Rússia realiza exercícios paralelos aos da OTAN no mar Negro
    Marinha dos EUA afirma estar pronta para defender parceiros europeus contra a Rússia
    Tags:
    tensão, porta-aviões, USS George H.W. Bush, submarino Krasnodar, Mediterrâneo, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik