03:08 25 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Um dos maiores submarinos nucleares russos construídos ainda na época da União Soviética é o Typhoon (Akula), que continua a ser o maior do mundo

    Potência sob a água: recordes da frota submarina da Rússia

    © AP Photo / Dmitry Lovetsky
    Defesa
    URL curta
    26340

    Além de proteger os interesses nacionais nos oceanos em todo o mundo, os submarinos da Marinha russa batem uma série de recordes tecnológicos que não foram superados por nenhum outro país.

    O especialista militar Aleksandr Khrolenko, colunista da Sputnik, fez uma lista dos submarinos russos mais inigualáveis.

    Primeiro submarino de mísseis balísticos

    Mais de seis décadas atrás, em setembro de 1955, foi disparado pela primeira vez um míssil balístico a partir de um submarino. O lançamento bem-sucedido do míssil russo R-11FM foi realizado a partir do submarino soviético B-67 no mar Branco. O navio, que foi modificado no estaleiro Sevmash, se tornou o primeiro submarino equipado com mísseis balísticos do mundo.

    Nos três anos seguintes, cinco submarinos do projeto AV611 (Zulu V, na designação da OTAN) foram construídos – ou modernizados – e se tornaram os primeiros submarinos produzidos em série com mísseis balísticos a bordo. Em 1957, na Frota do Norte da Marinha russa foi criada a primeira brigada de submarinos estratégicos.

    Mais rápidos

    Em dezembro de 1970, o submarino nuclear multiuso K-162 do Projeto 661 Anchar atingiu a velocidade subaquática de 44,7 de nós (cerca de 83 quilômetros por hora) e estabeleceu um recorde que esteve em vigor durante décadas. Segundo Khrolenko, não havia tarefas impossíveis para o K-162, já que o submarino era capaz de atingir e destruir qualquer navio de guerra existente na época.

    Antes do K-162, os submarinos do Projeto 705 Lyra, também de produção soviética, foram considerados os mais rápidos e podiam alcançar a velocidade de até 41 nós. Devido à sua grande manobrabilidade, eles eram capazes de se esquivar facilmente aos torpedos lançados contra eles. O Lyra também podia dar uma volta de 180 graus em 42 segundos (também um recorde).

    Pioneiros atômicos de automatização complexa

    Com a chegada da era dos submarinos nucleares, a União Soviética bateu mais um recorde. Os primeiros submarinos atômicos de alta velocidade altamente automatizados foram os do Projeto 705 (Alfa, na designação da OTAN). Devido à introdução de sistemas de automação integrados, a tripulação desses submarinos poderia ser reduzida a apenas 32 homens.

    Esses submersíveis foram construídos a partir de 1959 e a Marinha soviética recebeu sete unidades, incluindo uma versão modernizada, o Projeto 705K. De acordo com Khrolenko, até hoje, os submarinos do Projeto 705 não têm análogos no mundo.

    Recorde de profundidade

    O submarino do projeto 685 (Mike, na designação da OTAN) podia submergir a uma profundidade de mais de um quilómetro, permanecendo fora do alcance das armas antisubmarino do inimigo. Além disso, um dispositivo especial permitia a esse navio disparar torpedos a partir de grandes profundidades. 

    O submarino nuclear experimental K-278 do Projeto 685 entrou em serviço da Frota do Norte em 1983 e permaneceu operacional durante vários anos. O recorde de imersão do K-278 a uma profundidade de 1.027 metros nunca chegou a ser superado.

    O tamanho importa

    Em dezembro de 1981, a Frota do Norte da Marinha da URSS recebeu o maior submarino do mundo, o ТK-208 Dmitry Donskoi, do Projeto 941 Akula (Typhoon, na designação da OTAN). O comprimento do submarino atingia quase 173 metros, tinha um deslocamento de 48 mil toneladas e podia atingir velocidades de 25 nós (cerca de 43 quilômetros por hora).

    Os Akula são os únicos submarinos do tipo catamarã no mundo, isto é, eles têm dois cascos interconectados mas independentes. No total, foram construídos seis submarinos desse projeto. Até hoje, não existem análogos do Projeto 941, disse Khrolenko.

    "O tempo voa, mas a frota submarina russa está sempre um passo à frente", disse o autor.

    Tags:
    defesa, submarino atômico, submarino, Marinha da Rússia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik