17:05 07 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0 0
    Nos siga no

    Recentemente, o Ministério da Defesa russo incluiu a construção do destróier, elaborado pelo Gabinete de Projetos Severnoe, no programa estatal de armamentos para o período entre 2018 e 2025.

    A implementação do projeto prevê a construção de navios únicos com uma capacidade de deslocamento de entre 15 e 18 mil toneladas, 200 metros de comprimento e 24 metros de boca.

    Os destróiers terão instalações propulsoras nucleares e nos próximos anos se converterão em elementos-chave que ajudarão a Rússia a manter seu poderio naval nos oceanos, escreve o jornalista Aleksandr Khrolenko no seu artigo para a Sputnik.

    Os engenheiros russos querem aumentar as capacidades de combate e o potencial do novo navio, introduzindo no seu desenho diferentes sistemas de nova geração que ajudarão a aumentar sua capacidade de manobra e potência.

    Dado que conta com uma instalação de energia nuclear, a autonomia de navegação do Lider será ilimitada, assegura o analista. Graças ao desenho especial do casco, o novo destróier será ainda mais difícil de detectar por outros navios.

    Planeja-se que o Lider efetue missões marítimas relacionadas com a proteção de vias de comunicação nos mares e oceanos e possa atacar instalações costeiras com mísseis de cruzeiro de longo alcance, bem como cobrir ações de desembarque. Aleksandr Khrolenko considera que o desenho do Lider supõe irá refletir o conceito de um destróier de nova geração.

    O conselheiro do diretor-geral do Centro de Investigação Estatal Krylov, Valery Polovinkin, destacou que o novo navio combinará no seu desenho caraterísticas de navios diferentes anteriormente construídos na Rússia.

    De acordo com o especialista, o Lider será um navio universal que poderá substituir três classes de navios ao mesmo tempo — os próprios destróiers, os grandes navios antissubmarino e os cruzadores do projeto 1144 Orlan.

    Espera-se que o novo destróier seja menor que os navios do projeto 1144 Orlan, mas melhor equipado e armado.

    "Em geral, o Lider garante a firmeza da Marinha russa na esfera da defesa antimíssil e antiaérea em todos os oceanos", disse Polovinkin, citado por Khrolenko.

    Quanto a suas armas, o Lider superará muitos cruzadores do século XX e, além disso, será um navio avançado que contará com condições confortáveis para a sua tripulação, assegura o colunista.

    Graças a sua capacidade de realizar múltiplas tarefas e utilizar um grande leque de armas, o destróier russo poderá superar seus análogos americanos da classe Arleigh Burke.

    É provável que o Lider herde muitas caraterísticas bem-sucedidas do projeto 1144, inclusive seu sistema de defesa antiaérea faseado e seus potentes sistemas de mísseis antissubmarino.

    Espera-se que o navio seja equipado com os mísseis Kalibr NK e Oniks, enquanto o sistema de mísseis Prometei será instalado a bordo como arma de longo alcance.

    Ao mesmo tempo, os mísseis P-700 Granit, que atualmente se utilizam nos cruzadores do projeto 1144, serão sua arma principal. Além disso, os componentes da versão naval do sistema de artilharia Pantsir defenderão a zona próxima do Lider.

    "Sem dúvida, a construção do destróier nuclear universal sairá muito caro à Rússia, mas apenas um pequeno grupo de navios deste tipo permitirá ao país eslavo defender seus interesses e explorar novos recursos nas regiões mais afastadas dos oceanos", concluiu.

    Mais:

    'Tempestade' está chegando: mais alguns detalhes sobre novo porta-aviões russo
    Ministério russo revela quando começará a construção de novo porta-aviões
    Como será o novo porta-aviões russo?
    Mensagem para Putin? Grã-Bretanha envia destróier para o mar Negro (FOTO, VÍDEO)
    Mais silencioso, menos vulnerável: novo destróier entregue à Marinha dos EUA
    Tags:
    destróier, mísseis, Kalibr, Marinha da Rússia, Ministério da Defesa (Rússia), Rússia