10:36 18 Junho 2018
Ouvir Rádio
    USS George H.W. Bush

    Grupos de ataque dos EUA e Reino Unido realizam exercícios navais no Atlântico

    CC BY 2.0 / DVIDSHUB / USS George H.W. Bush action
    Defesa
    URL curta
    524

    Os membros da OTAN e nações parceiras irão se unir aos grupos navais de ataque dos EUA e do Reino Unido durante os dez dias de simulação de combate a partir de 1 de agosto, informou o Comando Europeu dos Estados Unidos (EUROCOM) nesta sexta-feira.

    As forças dos EUA da 6ª Frota, incluindo o porta-aviões H. W. George Bush, vão treinar lado a lado com o grupo naval de ataque do Reino Unido para desenvolver as capacidades combinadas navais e da aviação, explicou o comunicado.

    "Os marinheiros vão participar de cenários de treinamento complexos que abrangem todo o espectro de operações de um grupo de ataque com porta-aviões, incluindo ataques estratégicos, operações de defesa aérea, apoio aéreo de combate e garantia de zona de exclusão aérea", declarou o comunicado do EUROCOM.

    O Reino Unido está desenvolvendo a normas operacionais para seu novo porta-aviões da classe Queen Elizabeth, bem como as formas de operação conjunta com grupos de ataque dos EUA, observou a nota.

    Cerca de 6 mil marinheiros norte-americanos vão participar dos exercícios Saxon Warrior 2017 (Guerreiro Saxão em inglês), com a participação de militares da Alemanha, Noruega, Suécia e Reino Unido.

    Os últimos exercícios navais do tipo foram realizados em 2011.

    Mais:

    Marinha da China exibe força militar em exercícios navais na península da Coreia
    Opinião: Crimeia reage duramente às manobras navais dos EUA e Ucrânia no mar Negro
    Marinha do Irã realiza exercícios navais de grande porte no mar Cáspio (VÍDEOS)
    Embaixada russa: fuzileiros navais dos EUA podem estragar relações entre Moscou e Oslo
    OTAN irá testar suas capacidades navais na região Báltica
    Tags:
    exercícios navais, USS George H.W. Bush, EUROCOM, OTAN, Atlântico Norte, Reino Unido, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik