14:25 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Sistema de mísseis Iskander, foto de arquivo

    'Iskander é um problema para todos sistemas antiaéreos e antimísseis'

    © Sputnik / Alexander Vilf
    Defesa
    URL curta
    18343
    Nos siga no

    Antoni Macierewicz, ministro da Defesa polonês, revelou ao público que, em 2022, a Polônia receberá sistemas antiaéreos norte-americanos Patriot. O documento foi assinado em 6 de julho durante a visita do presidente Donald Trump à Polônia.

    O documento também destaca que o prazo de "prontidão operacional" dos sistemas está marcado para o ano de 2023.

    O próprio ministro polonês afirmou que os sistemas Patriot permitirão à Polônia "opor uma resistência eficiente aos sistemas russos Iskander". No entanto, analistas russos descartaram que os Patriot representam uma ameaça para a Rússia, pois "não se podem comparar com o moderno sistema russo S-400".

    Dmitry Kornev, analista militar e editor-chefe do portal MilitaryRussia.ru, comentando o assunto para a Sputnik Sérvia, reconheceu que em termos técnicos e teoricamente os Patriot podem fazer frente aos Iskander, pois todo sistema antimíssil pode interceptar qualquer míssil, é sua função principal.

    "No entanto, surge uma questão: com que probabilidade? Os sistemas Iskander têm dois tipos de mísseis, de cruzeiro e balísticos. Os mísseis de cruzeiro podem ser interceptados por qualquer sistema de mísseis antiaéreos por voarem a baixa altitude, o que também obstaculiza a sua detecção", explica analista.

    Mas a presença de aviões-radar AWACS torna a detecção de um míssil de cruzeiro mais fácil, portanto na Europa eles podem ser interceptados com mais probabilidade do que em outros lugares.

    No que diz respeito aos mísseis balísticos do Iskander, isso é outra situação. Eles são alvos bem difíceis de serem detectados, acrescenta Dmitry Kornev.

    "O míssil balístico Iskander se move por uma trajetória muito complexa e fora do padrão dos mísseis balísticos, ele é guiado desde os primeiros segundos até ao último momento e pode realizar manobras antimísseis", adiciona o analista.

    Levando em consideração todos esses fatores, a probabilidade de intercepção de mísseis Iskander pelo Patriot é de 2-3 mísseis em 10 e, se se tratar de uso inesperado, a probabilidade atinge os 0 mísseis.

    "Sistema Iskander é um problema para todos sistemas antiaéreos e antimísseis e, em termos de mísseis balísticos, é um dos mais perfeitos no mundo. Os mísseis do Iskander são um alvo muito difícil para sistemas modernos e mesmo para o Patriot que, de alguma forma, surgir no futuro", concluiu Kornev.

    O especialista militar Andrei Golovatyuk, por sua vez, expressou para o serviço russo da Rádio Sputnik a opinião de que a implementação do sistema Patriot tem mais motivos políticos do que militares. Seja como for, Golovatyuk compartilha a opinião de que o Patriot americano não é um concorrente dos Iskander russos.

    "Duvido que o Patriot possa fazer frente ao nosso Iskander, pois o Iskander tem caraterísticas que não permitem ao Patriot ter tempo para ‘capturar' o míssil", opina Golovatyuk.

    Ele também acredita que, quando chegar o prazo de entregar o sistema Patriot em 2022, este já estará obsoleto.

    "O Patriot foi desenvolvido ainda em 1982, portanto já tem mais de 30 anos. Até 2022, o desenvolvimento do Iskander não ficará parado, ele vai se aperfeiçoando."

    Será um ótimo meio para os americanos pedirem mais dinheiro aos poloneses com propostas de "melhorar", "modernizar" ou adicionar mais alguma coisa ao sistema até o momento final da entrega, considera o analista militar.

    Mais:

    Sistemas Iskander aumentam precisão graças a novas unidades especiais
    Moscou não dará explicações à OTAN sobre mísseis Iskander em Kaliningrado
    Unidades Iskander-M realizam exercícios militares no oeste da Rússia
    Tags:
    defesa antimísseis, sistema de defesa antiaérea, Patriot, Iskander, Donald Trump, Polônia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar