03:18 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Lançamento de míssil na China (arquivo)

    Que chances têm mísseis hipersônicos chineses contra porta-aviões norte-americanos?

    © AP Photo/ Wu Dengfeng
    Defesa
    URL curta
    214278180

    Armas da China e Rússia estão entre as que colocam em perigo os navios de guerra dos EUA, opina analista.

    Em seu artigo para revista The National Interest, o especialista Kris Osborn afirma que a Marinha norte-americana poderá ter problemas sérios devido ao desenvolvimento dos mísseis hipersônicos. O perigo principal é que os porta-aviões se movem muito lentamente.

    Osborn aponta para a existência de programas de países como a China, com seu míssil DF-ZF, e a Rússia, que estão desenvolvendo atualmente armamento hipersônico, e acrescenta que existe uma tendência notória e um interesse de outras nações em ostentar tecnologias hipersônicas. Por isso, a Força Aérea dos EUA está acelerando seus programas desse tipo de armas, com o objetivo de combater qualquer ameaça.

    De acordo com fontes militares citadas pelo especialista, enquanto um míssil de cruzeiro voa a uma velocidade de 956 quilômetros por hora, as armas hipersônicas serão capazes de atingir velocidades de mais de Mach 5 (5 vezes a velocidade do som).

    Nesse sentido, os Estados Unidos progrediram há vários anos no desenvolvimento de aeronaves e mísseis hipersônicos, adiciona Osborn. Entre os novos armamentos, o analista destaca o X-51 Waverider, um míssil de cruzeiro hipersônico.

    Osborn também acrescenta, citando o chefe científico da Força Aérea dos EUA, Geoffrey Zacharias, que os voos não tripulados a velocidades hipersônicas poderiam ser uma realidade em 2030, e o seu uso múltiplo não será possível até pelo menos 2040.

    "Uma vez que os veículos hipersônicos podem viajar em uma trajetória de voo do tipo parabólico, que se elevam muito alto na atmosfera para atingir velocidades hipersônicas antes de retornar a altitudes mais baixas, o desenvolvimento de aviões não tripulados recuperáveis é muito mais difícil dado o nível de autonomia necessário para os veículos hipersônicos na descida", aponta o especialista.

    As vantagens de voo de um avião hipersônico não tripulado seriam principalmente a velocidade e o aumento do poder de destruição, concluiu Kris Osborn.

    Mais:

    Navio de guerra da China escolta destróier dos EUA perto de ilhas disputadas
    Relação dos EUA com a China pode azedar - e muito - nesta semana. Saiba como
    Opinião: China e Rússia não cederam à ordem mundial imposta pelos EUA
    Tags:
    mísseis de cruzeiro, porta-aviões, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik