18:22 02 Março 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    936
    Nos siga no

    Os legisladores norte-americanos estão promovendo de novo uma rede inovadora de satélites para monitorizar e assegurar observações em tempo real de qualquer lançamento de mísseis no planeta.

    O maior sistema de radar do mundo baseado no mar SBX (Sea-Based X-Band Radar-1) dos EUA
    © AP Photo / US Navy - Ryan C. McGinley
    Semelhante à Iniciativa de Defesa Estratégica dos anos 80, também conhecida como Star Wars, esta rede é imaginada como uma ferramenta inovadora de vigilância e não como uma plataforma de armas ofensiva, tendo por objetivo "desenvolver uma rede de sensores instalada no espaço", de acordo com a subcomissão das Forças Armadas Estratégicas de Serviço dos EUA, citadas pela revista Defense News.

    A rede orbital de vigilância de mísseis balísticos permitirá o "controle preciso de todos os mísseis desde a fase de lançamento e durante o voo", para além de "efetuar outras tarefas de inteligência, vigilância e reconhecimento", de acordo com o projeto de lei proposto.

    Caso o projeto seja aprovado, o Departamento de Defesa dos EUA terá um ano para esboçar os elementos técnicos, custo estimado e cronograma do projeto do novo sistema espacial, assim como apontar o ciclo vital do programa e predizer os custos de manutenção e operacionais.

    Segundo a proposta, as tecnologias existentes seriam favoráveis ao desenvolvimento de novas ferramentas prontas para usar, embora deva existir um orçamento para as tecnologias ainda não desenvolvidas, informa o Defense One.

    Em uma conferência de defesa antimíssil que decorreu este ano, alguns representantes oficiais da defesa norte-americana notaram que Washington precisa de instalar rapidamente uma rede de sensores na órbita da Terra para monitorar os mísseis.

    O controle do espaço orbital perto da terra é "fundamental para cada operação militar que ocorre no planeta hoje em dia, desde satélites a GPS", afirmou o tenente-general James Dickinson, comandante da Defesa Espacial e Antimíssil do Exército.

    "Enquanto continuarmos a nos concentrar e contar apenas com sensores baseados em terra, nossa proteção terá brechas e pontos fracos", acrescentou o general da brigada Ronald Buckley, vice-diretor de operações do Comando Norte dos EUA.

    "Nossos inimigos estão trabalhando ativamente para aproveitar qualquer destas brechas. Não estou dizendo que o espaço não tem defeitos", acrescentou. "Mas acho que estamos na hora de considerar o espaço como uma opção."

    As cinco anteriores administrações dos EUA apoiaram as propostas de desenvolver uma rede espacial de sensores de mísseis, mas as propostas nunca conseguiram ultrapassar a fase inicial, em primeiro lugar devido à falta de tecnologias testadas e falta de meios financeiros.

    Mais:

    China e EUA declaram buscar 'completa desnuclearização' da Coreia do Norte
    Grécia irá substituir base militar turca dos EUA e OTAN?
    Tags:
    vigilância, novas tecnologias, satélite, Departamento de Defesa dos EUA, Espaço, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar