18:37 17 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    O maior sistema de radar do mundo baseado no mar SBX (Sea-Based X-Band Radar-1) dos EUA

    $ 60 bilhões para miragens do Pentágono

    © AP Photo/ US Navy - Ryan C. McGinley
    Defesa
    URL curta
    874314280

    Hoje, a revista Newsweek acusou mais uma vez o Pentágono de gasto inútil de dinheiro.

    Segundo o jornal, Washington destinou $ 94 milhões (R$ 312,7 milhões) para uniformes dos militares afegãos com camuflagem adaptada a operações em terreno florestal, enquanto as florestas cobrem apenas 2% do território do país. A "camuflagem de floresta" foi selecionada com base em preferências pessoais e sem ter em conta a situação real no país.

    Os militares dos EUA gastam dezenas de bilhões de dólares em projetos injustificados ou para objetivos incertos, se mantendo praticamente fora do controlo financeiro do Estado ou dos contribuintes. É isto que leva a resultados tão dramáticos.

    A participação dos EUA nos gastos mundiais com a defesa é de 36%, mas até o próprio secretário da Defesa dos EUA, James Mattis, pôs recentemente em dúvida a prontidão das forças norte-americanas para o combate, dizendo que estava "chocado com o baixo nível de preparação do país para o combate". Ao mesmo tempo, em 2018, Washington vai aumentar drasticamente os gastos militares – para $ 639 bilhões (o Pentágono vai receber $ 52 bilhões adicionais em comparação com 2017).

    O radar flutuante

    Outros exemplos brilhantes de gastos absurdos são mostrados também pela Agência de Defesa de Mísseis dos EUA, que gastou mais de dez bilhões de dólares com o desenvolvimento de armas inúteis.

    O maior sistema de radar do mundo baseado no mar SBX (Sea-Based X-Band Radar-1) custou aos contribuintes dos EUA $ 2,2 bilhões (R$ 7,3 bilhões).

    Como resultado, o sistema flutuante SBX não cumpre sequer suas funções que foram anunciadas inicialmente e por isso está parado na base naval dos EUA de Pearl Harbor no Havaí.

    Talvez, mais inútil que isso pareça ser só o laser aéreo de combate, ou seja, o assim chamado "sonho antimíssil", no valor de $ 5,3 bilhões (R$ 17,6 bilhões) cujo projeto foi fechado.

    O Klondike oriental

    O Departamento de Defesa dos Estados Unidos publicou no outono de 2016 um relatório em que se lê que o Pentágono gastou desde o início dos anos 90 cerca de $ 58 bilhões (R$ 192,9 bilhões) com projetos de defesa que não foram realizados.

    Por exemplo, $ 2,7 bilhões (R$ 8,9 bilhões) foram gastos no Afeganistão com um balão aerostático para vigilância aérea, que se verificou não funcionar.

    A Força Aérea dos EUA comprou para o governo afegão 20 aviões de transporte italianos por $ 486 milhões (R$ 1.617 bilhões), e quando se verificou que os aviões não voam eles foram vendidos para sucata e os EUA receberam por eles $ 32 mil (R$ 106,5 mil). Provavelmente, a diferença entre os valores não terá simplesmente desaparecido. O Oriente é uma questão delicada. O dinheiro atribuído de fato ao Pentágono para a reconstrução do Iraque ocupado também não se sabe onde foi parar.

    Os gastos insensatos de dinheiro dos contribuintes se tornaram um modo de vida do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, e isso também traz benefícios para o complexo militar-industrial dos EUA. Portanto, perder $ 60 bilhões não é o limite. No verão passado, o Pentágono não conseguiu justificar suas despesas no valor de $ 6,5 trilhões (R$ 21,6 trilhões).

    Aleksandr Khorolenko para agência Rossiya Segodnya.

    Mais:

    Pentágono disse que ataques aéreos contra tropas do governo sírio eram autodefesa
    Pentágono: EUA têm capacidades para se defender dos mísseis norte-coreanos
    Pentágono: EUA realizaram primeiro ataque contra as posições de Al-Shabaab na Somália
    Tags:
    aviões, armas, contribuições, gastos militares, defesa, Pentágono, James Mattis, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik