04:41 22 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Tropas inglesas

    Fim da neutralidade? Suécia vai aderir a forças especiais afiliadas à OTAN

    © Foto: Wheelie A'barrow/MOD
    Defesa
    URL curta
    1929

    Os suecos não-alinhados estão perdendo gradualmente sua marca de neutralidade porque o governo quer aceitar o convite para se juntar à Força Expedicionária Conjunta (JEF em inglês), chefiada pelo Reino Unido, que é composta por sete países da OTAN.

    Durante um encontro com o Comitê de Defesa do país, o ministro da Defesa da Suécia, Peter Hultqvist, deixou claro que Estocolmo pretende aceitar o convite britânico para a JEF, apesar de ter rejeitado anteriormente essa ideia. Com a participação crescente da Suécia, tradicionalmente não-alinhada, em várias estruturas afiliadas à OTAN, sendo esta uma questão polarizadora, a perspectiva de abandonar ainda mais o terreno da neutralidade reavivou o debate.

    "Basicamente, esta é uma boa decisão. Ela envia um sinal claro que a Suécia se está juntando aos países ocidentais. Além disso, é importante que seja uma força de resposta rápida", disse o porta-voz conservador para a Defesa, Hans Wallmark, ao jornal sueco Svenska Dagbladet.

    No entanto, o porta-voz da esquerda para a Defesa, Stig Henriksson, ficou desapontado pela perspectiva de se juntarem ao JEF liderado pelo Reino Unido.

    A primeira vez que a adesão à JEF surgiu na agenda da Suécia foi em 2015. No entanto, a participação da Suécia foi rejeitada pelo mesmo Peter Hultqvist na época.

    Desde então, no entanto, a retórica da Suécia sobre ser ameaçada pela persistente "agressão russa" se agudizou, o que muitas vezes é usado como pretexto para uma maior colaboração militar com a OTAN. Em abril de 2017, as Forças Armadas suecas reavaliaram a situação e chegaram à conclusão que a participação da Suécia na JEF realmente teve "efeitos positivos para ela".

    Durante a reunião de ontem, o presidente do Comitê de Defesa, Allan Widman, perguntou a Hultqvist sobre as implicações do pré-requisito de que a JEF possa ser acionado em "em todos os níveis de conflito" e se a participação da Suécia foi excluída ou não no caso de uma "situação do Artigo 5" da Convenção da OTAN sobre autodefesa coletiva.

    "A única parte substantiva da resposta foi que o ministro da Defesa não queria se envolver em especulações", disse Widman ao Svenska Dagbladet.

    A Força Expedicionária Conjunta do Reino Unido (JEF) foi lançada como uma iniciativa da OTAN na Cúpula no País de Gales de 2014 e é composta por Dinamarca, Noruega, Estônia, Letônia, Lituânia e Holanda. Embora a JEF seja formalmente independente da OTAN (e distinta da própria força de resposta rápida da OTAN, NRF), ela está, no entanto, intimamente ligada à organização, operando "sob as doutrinas e os padrões da OTAN".

    Mais:

    Nem todos gostam dos treinamentos militares da OTAN (VÍDEO)
    Peça de artilharia soviética que 'pode ameaçar a OTAN' aparece na Síria
    Tags:
    militares, neutralidade, ameaça, JEF, OTAN, Reino Unido, Suécia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik