07:28 26 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Sede do Pentágono em Washington, EUA

    Pentágono solicita bilhões de dólares para vigiar mísseis a partir do espaço

    © AFP 2018 / STAFF
    Defesa
    URL curta
    1513

    O Pentágono solicitou ao Congresso uma quantia de 7,75 bilhões de dólares (cerca de R$ 25 bilhões) para melhorar os sistemas de vigilância espacial estadunidenses, totalizando 1,3 bilhão a mais (cerca de R$ 4,2 bilhões) do que em 2016.

    O aumento inclui 4,33 bilhões de dólares (cerca de R$ 14 bilhões) para financiar pesquisa e desenvolvimento dos sistemas, citados acima, e 3,42 bilhões (cerca de R$ 11 bilhões) para a criação dos mesmos, como informaram vários oficiais da Força Aérea de Estados Unidos.

    "Temos que ser capazes de encontrar o equilíbrio entre recursos, entre o que podemos permitir e entre o que pode durar", explicou Roger Teague, diretor de programas espaciais do escritório do secretário adjunto da Força Aérea dos EUA, às mídias.

    Teague adicionou que "o dinheiro é limitado" e que "é impossível seguir gastando sem considerar as possibilidades".

    "Temos que ser capazes de inverter com a cabeça e de concentrar nossos recursos para assegurar o bom nível de proteção ao mesmo tempo ficando com recursos para o futuro", destacou o funcionário norte-americano.

    A parte mais importante do pressuposto anunciado pelo Pentágono é destinada ao seu sistema de alerta antecipada (SBIRS, sigla em inglês), que basicamente uma constelação de satélites que detectam e avisam em caso de lançamentos de mísseis.

    Tendo em conta as tensões na península de Coreia, o 1,3 bilhão (cerca de R$ 4,2 bilhões) a mais proporcionará o lançamento do satélite GEO-4 em novembro e o desenvolvimento dos GEO-5 e GEO-6. A Força Aérea norte-americana deseja lançar oito satélites, que se juntarão aos três que já estão no espaço.

    Destes 7,75 bilhões, 36 milhões (cerca de R$ 116 milhões) serão destinados para finalizar a construção da cerca espacial (Space Fence, em inglês) que Estados Unidos estão construindo nas ilhas Marshall, que já alberga uma instalação de radar. Este sistema vigia os objetos no espaço que sobrevoam os EUA — satélites ou lixo espacial.

    Também serão destinados 95 milhões de dólares (cerca de R$ 307 milhões) no financiamento do Wideband Global SATCOM (WGS), o sistema de comunicações por satélite de grande capacidade, para finalizar a construção WGS-10, o último satélite que deverá passar a fazer parte do SATCOM.

    A Força Aérea estadunidense espera se assegurar também de que, em caso de desastre nuclear, suas comunicações não sejam interrompidas. Para isso, Estados Unidos dedicará 172 milhões de dólares (cerca de R$ 555 milhões) à instalação de terminais de comunicação especiais em seus bombardeiros estratégicos B-52, em seus aviões de reconhecimento e em seus aviões militares destinados ao abastecimento aéreo.

    Também, o Pentágono quer impulsar sua nova geração de sistemas de posicionamento global (GPS), integrada por 32 satélites, e destinará 329 milhões de dólares (cerca de 1 bilhão de reais) —116 milhões a mais do que em 2017— para seu desenvolvimento.

    Mais:

    Pentágono quer culpar o Daesh por mais de 100 civis mortos durante ataque aéreo em Mossul
    EUA indicam novas armas russas que podem frustrar planos do Pentágono (FOTOS)
    Tags:
    defesa, desenvolvimento, vigilância, B-52, GPS, Pentágono, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik