17:46 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Forças navais da China nas ilhas Spratly

    China instala mísseis que, afinal, são lança-granadas

    © AFP 2017/ RITCHIE B. TONGO
    Defesa
    URL curta
    2130

    A recente publicação do jornal chinês Guofang Ribao sobre a instalação de lança-granadas anti-diversionistas nas ilhas Spratly, no mar do Sul da China, que alguns chamam de "lançadores de mísseis", obteve grande ressonância, sendo a instalação considerada um novo passo na militarização destas ilhas.

    Porém, na realidade nesta notícia não tem nada de novidade, destaca no seu comentário para Sputnik China o especialista militar Vasily Kashin.  

    Este complexo de armas apareceu em uma reportagem das mídias chinesas publicada no início de 2013. O complexo era identificado como lança-granadas russo DP-65, destacou o especialista.    

    O DP-65 pode detetar automaticamente o alvo no mar e disparar em regime automático ou manual. Por causa da especificidade do meio marítimo, a explosão da granada pode eliminar o diversionista a longa distância. Os grandes navios militares da Marinha russa estão equipados com estes complexos, que permite protegê-los de terroristas e diversionistas no mar. 

    O desdobramento destes complexos nas ilhas chinesas no mar do Sul da China é uma medida razoável do ponto de vista militar. As ilhas artificiais que foram construídas pelos chineses no arquipélago Spratly são zonas não muito extensas e alguns complexos de lança-granadas deste tipo são suficientes para as proteger.

    Em uma situação de alta tensão no mar do Sul da China, não é de excluir a possibilidade de uma das partes em conflito recorrer a operações especiais para fins do reconhecimento, sabotagem ou tomada de surpresa de alguma estrutura.

    Podemos supor que o alvo principal de preocupação dos chineses não são as forças especiais vietnamitas, mas sim as poderosas e bem equipadas subdivisões americanas Navy SEAL. 

    Tendo em conta a estreita especialização e o curto alcance dos complexos DP-65 e dos seus análogos chineses, a instalação de tais complexos nas ilhas pode ser considerada como uma medida defensiva e não pode alterar o equilíbrio de forças no mar do Sul da China.  

    Também é questionável ver esta ação como um passo sério na direção da militarização das ilhas. Ao mesmo tempo, estas medidas significam que as autoridades militares chinesas, no seu planejamento nesta região, tentam considerar cenários diferentes e querem estar preparados para eles.

    Facebook

    Procure a página Sputnik Brasil no Facebook e descubra as notícias mais importantes. Curta e compartilhe com seus amigos. Ajude-nos a contar sobre o que os outros se calam!

    Mais:

    Filipinas enviam tropas para ilha disputada no mar do Sul da China
    Especialista russo comenta mudança na balança de poderes no mar do Sul da China
    Tags:
    lançador de granadas, militarização, mísseis, Mar do Sul da China, Vietnã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik