03:56 20 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Tu-160 (Cisne branco) é um bombardeiro estratégico supersônico. Embora várias aeronaves de transporte civis e militares tenham dimensões maiores, o Tu-160 é a maior aeronave de combate, maior aeronave supersônica e maior aeronave com asas de geometria variável.

    EUA indicam novas armas russas que podem frustrar planos do Pentágono (FOTOS)

    © Sputnik / Mikhail Fomichev
    Defesa
    URL curta
    10404
    Nos siga no

    A edição norte-americana The National Interest comunica, citando materiais do Instituto de Estudos sobre a Segurança e Defesa, que a Rússia aposta no desenvolvimento de novos tipos de armas.

    Segundo os analistas, o arsenal renovado das armas nucleares vai ajudar a Rússia a conter eficazmente os novos armamentos dos EUA, dos países da OTAN e da China. 

    Por isso, em resposta à implantação do sistema norte-americano de defesa antimíssil, a Rússia está desenvolvendo os novos mísseis balísticos intercontinentais Yars e os submarinos da classe Borei, dotados de mísseis Bulava. Além disso, a Rússia desenvolve o míssil pesado Sarmat e o sistema de mísseis Rubezh. O sistema ferroviário de mísseis está igualmente sendo desenvolvido e o bombardeiro estratégico Tu-160 tem sido alvo de modernização. 

    O complexo Yars é visto na Praça Vermelha durante o desfile militar da Parada da Vitória em 9 de maio em Moscou
    © Sputnik / Aleksandr Vilf
    O complexo Yars é visto na Praça Vermelha durante o desfile militar da Parada da Vitória em 9 de maio em Moscou

    Além disso, segundo a edição norte-americana, a Rússia está reforçando as suas forças estratégicas nucleares, os mísseis de cruzeiro e ainda os mísseis terra-ar.

    O The National Interest reconhece que o lado russo tem vantagens sobre os EUA em termos de qualidade e diversidade dos sistemas de lançamento, podendo garantir a eficiência estratégica das suas forças nucleares no futuro próximo.

    Submarino nuclear da classe Borei (imagem referencial)
    Submarino nuclear da classe Borei Aleksandr Nevsky

    Mas, entretanto, a Rússia não abandonou o desenvolvimento das armas não-nucleares. Pelo contrário, segundo os analistas, o país avançou muito em várias áreas. Por exemplo, o artigo lembra as armas de energia dirigida, as armas hipersônicas e aparelhos submarinos não tripulados. 

    Míssil hipersônico Moskit lançado de um navio durante os exercícios realizados no mar do Japão
    © Sputnik / Ildus Gilyazutdinov
    Míssil hipersônico Moskit lançado de um navio durante os exercícios realizados no mar do Japão

    Segundo a edição, no longo prazo a Rússia vai desenvolver ativamente os sistemas robotizados e dirigidos à distância, incluindo aparelhos aéreos não tripulados, os novos sistemas de guerra radioeletrônica e cibernética e os sistemas de controle de forças, incluindo a Internet militar.

    "Em resumo, o Kremlin está levando a cabo uma sensata estratégia racional, considerando os recursos técnicos e materiais da Rússia", frisa o The National Interest. 

    De acordo com a opinião de analistas, a Rússia vai continuar a desenvolver os sistemas de defesa antiaérea e antimíssil de longo alcance, desenvolver os novos caças, capazes de conter os norte-americanos de quinta geração e utilizar armas hipersônicas e energéticas.

    Mais:

    Ilusão de ótica: Rússia elabora materiais que podem 'enganar' armas inteligentes
    Não à corrida nuclear: Rússia está pronta a reduzir armas nucleares junto com os EUA
    Tags:
    arsenal, reforço, desenvolvimento, armas nucleares, mísseis, armamentos, Yars, Sarmat, Tu-160, The National Interest, Kremlin, OTAN, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar