08:40 23 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    5211
    Nos siga no

    A construção de porta-aviões não vai parar depois do comissionamento do recém-lançado segundo porta-aviões chinês, dizem os especialistas, assumindo que terceiro o porta-aviões terá propulsão convencional, mas irá usar catapultas a vapor, enquanto o quarto porta-aviões poderá ter propulsão nuclear e usar sistemas avançadas de lançamento e captura.

    O segundo porta-aviões chinês, o primeiro de construção nacional, foi recentemente lançado à água e o país está no caminho de criar um grupo de ataque de dois porta-aviões em alguns anos. Mas os especialistas creem que o novo porta-aviões do Tipo 001A é só o começo do aumento do poder naval da China, à medida que o país lance porta-aviões maiores e com maior capacidade nos anos que se seguirão.

    "Claro que vamos continuar construindo porta-aviões", disse ao jornal chinês Global Times Li Jie, especialista naval de Beijing. "A Marinha do Exército de Libertação Popular vai ter mais que três porta-aviões para aumentar sua capacidade de combate, além de conduzir treinamentos e manutenção ao mesmo tempo."

    Antes foi comunicado que um terceiro porta-aviões "maior e mais capaz", que tem referência como Tipo 002, está sendo construído em Xangai desde março de 2015. Porém, isso não foi confirmado oficialmente.

    Na entrevista ao Global Times a respeito de terceiro porta-aviões, o porta-voz do Ministério da Defesa citou as palavras do representante do mesmo ministério Yang Yujun:

    "Quanto ao desenvolvimento a longo prazo dos porta-aviões da China, as autoridades competentes terão em consideração vários fatores na tomada de decisões", destacou Yang numa coletiva de imprensa no dia 31 de dezembro de 2015.

    Projetos de futuros porta-aviões

    Li disse que o Tipo 002 será diferente em comparação com o Liaoning, um porta-aviões soviético reconstruído comprado à Ucrânia, e com o Tipo 001ª, que é semelhante ao Liaoning e foi lançado à água no dia 26 de abril.

    "Ele vai se parecer mais com os porta-aviões americanos que com os russos", destacou Li, dizendo que ele vai usar catapultas de lançamento do tipo americano que vão substituir o sistema de lançamento de aeronaves instalado no Liaoning e no Tipo 001A.

    As catapultas a vapor vão ser capazes de lançar aeronaves mais pesadas e fazer isso muito mais depressa, explica Li.

    "Seu deslocamento terá mais 10.000 toneladas que o Tipo 001A e o porta-aviões, mas continuará tendo propulsão convencional," prevê Li.

    A China está caminhando a passos curtos em vez de dar saltos no desenvolvimento de armas da alta tecnologia. "É muito perigoso fazer grandes mudanças tecnológicas. O design e a utilização de reatores nucleares em porta-aviões vão exigir no mínimo 15 anos para serem desenvolvidos. Em breve, a China será capaz de ter um quarto porta-aviões de propulsão nuclear.”

    "Os porta-aviões não só vão ajudar a manter a segurança marítima da China, a proteger nossos interesses e a resgatar cidadãos chineses, mas também vão aumentar nosso poderio nos mares e na diplomacia", sublinhou Li.

    Mais:

    China testa mísseis na península coreana
    Japão toma medidas especiais em meio à atividade de navios militares da China
    Tags:
    propulsão nuclear, inovação, porta-aviões, Liaoning, Ministério da Defesa Nacional da China, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar