02:30 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Sistema de mísseis S-400

    Especialista: OTAN deve estar contente com compra de S-400 russo pela Turquia

    © Sputnik / Valery Melnikov
    Defesa
    URL curta
    12221
    Nos siga no

    Comentando a crítica recente da mídia ocidental em relação ao "acordo de princípio" da Turquia em comprar o sistema de defesa antiaérea russo S-400, um analista político e militar turco explicou à Sputnik Turquia por que OTAN "se deve sentir contente e não crítica" com o possível acordo.

    Em 3 de maio, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan chegou à cidade russa de Sochi para se encontrar com seu homólogo Vladimir Putin. Os dois líderes discutiram, entre outros assuntos, a possível aquisição pela Turquia do avançado sistema de defesa antiaérea russo S-400.
    Há muitas chances que a Turquia possa ser o primeiro membro da OTAN a operar o sistema russo S-400, enquanto alguns outros países, entre eles Romênia, Bulgária, Grécia e Alemanha, possuem complexos S-200 e S-300 russos.

    Ao comentar os resultados das negociações, a mídia dominante do Ocidente se mostrou alarmada com tal perspectiva.

    "A Turquia e a Rússia estão tratando de assuntos de mísseis. A OTAN se deve preocupar com a amizade entre os dois países", diz um artigo do jornal The Economist no dia seguinte às negociações.

    "Num momento em que a tensão entre a OTAN e a Rússia está em sua fase mais alta desde a guerra fria, esta compra, se for realizada, será avaliada como uma desfeita planejada para a Aliança. Também confirmará a impressão dos últimos anos, que Erdogan está contente com o fato da a Turquia se tornar, na verdade, um membro semiafastado da OTAN", explica o artigo.

    A BBC Turquia notou que o possível acordo destaca a questão da troca de dados entre a Turquia e a Rússia, além de "vários outros debates" como a integração dos sistemas russos no sistema padronizado de defesa antiaérea da OTAN.

    No entanto, o analista militar e político e professor da Universidade de Ozyegin em Istambul, Mesut Hakki Casin, disse á Sputnik Turquia que a OTAN "deveria estar contente e não preocupada" com o possível acordo, pois com esta aquisição um país da organização irá obter um armamento muito avançado.

    "Alguns membros da OTAN estão preocupados com a possível fuga de informações secretas para a Rússia. Porém, países como Bulgária, Grécia e Hungria já possuem estes sistemas, sendo também usados pela OTAN. Isso significa, que não há um problema de "integração" de que têm falado muitos especialistas", disse o analista político à Sputnik.

    "Em vez de se preocupar, a OTAN deve estar contente, pois o desenvolvimento do sistema de defesa turco facilita de modo indireto o desenvolvimento do sistema de segurança de toda a Aliança", acrescentou ele.

    Casin também frisou que a Turquia é um Estado soberano e tem todo o direito de comprar armamentos a qualquer país que escolher.

    "Desde os anos de 1950, a Rússia tem acumulado uma experiência significativa quanto a complexos de mísseis de curta, média e grande altitude. O S-400 é um sistema muito avançado. A aquisição de tal sistema será uma grande vantagem para a Turquia, que está lutando contra o Daesh, que ameaça a população turca", explicou ele.

    O analista político também notou que a Turquia, de acordo com o Artigo 5 do Tratado da OTAN, está agindo em conformidade com o princípio de defesa coletiva. No entanto, no caso de haver ataques terroristas, que não cabem neste princípio, ela tem que se defender de forma independente.

    Este sistema, disse o analista, não será usado contra a OTAN, pelo contrário, será usado como um obstáculo para qualquer ameaça que enfrentar.

    Segundo disse o especialista, o acordo também contribuirá para o fortalecimento das relações entre a Rússia e a Turquia.

    "Desde 1991, a cooperação russo-turca tem sido baseada na confiança, a Turquia tem confiado na Rússia do ponto de vista militar. De acordo com a Convenção de Montreux sobre o Regime dos Estreitos, a segurança no mar Negro está sendo controlada por estes dois países. Ainda por cima, a diplomacia russo-turca e os esforços pessoais de Putin e Erdogan desempenham um papel vital na segurança no Mediterrâneo Oriental e na resolução do conflito sangrento na Síria", disse ele.

    Em um comentário separado quanto à questão, o tenente-general aposentado turco Erdogan Karakus disse à Sputnik que deste modo a Turquia está tentando se defender permanecendo independente da OTAN.

    Ele também sublinhou que o fato da Turquia não possuir nenhum sistema de intercepção de grande altitude é muito problemático, isso explica o desejo de Ancara de comprar um destes sistemas.

    O tenente-general aposentado também sugeriu que assim haverá um certo equilíbrio entre a OTAN e a Rússia.

    Segundo ele comentou, a Turquia pode satisfazer completamente suas necessidades comprando tanto o S-400 da Rússia, como o sistema Patriot dos EUA, ou conseguirá balançar entre os dois.

    A Aliança, por sua vez, quer vender à Turquia 12 sistemas Patriot por 300 bilhões de dólares (R$ 948 bilhões), não querendo perder seu cliente permanente. Como a OTAN não tem vontade de diminuir o número de sistemas para instalação, então insistirá no fornecimento destes e se oporá à aquisição dos sistemas russos, concluiu o general.

    Mais:

    Turquia: 'Nosso dever é fazer a OTAN mais forte do que antes'
    Corrente Turca avança: gás russo fluirá para Europa pela Turquia
    UE precisa da Turquia para controlar refugiados, não para ser um estado-membro
    Tags:
    acordos bilaterais, armamentos, Patriot, S-200, S-300, S-400, OTAN, Vladimir Putin, Erdogan Karakus, Recep Tayyip Erdogan, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar