07:06 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    As solenidades dedicadas ao aniversário 105-o do dia de nascimento de Kim Il-sung, Pyongyang, Coreia do Norte

    'Americanos não gostam de levar piparotes no nariz'

    © Sputnik/ Ilia Pitalev
    Defesa
    URL curta
    Tensão sem precedentes entre Coreia do Norte e EUA (186)
    37341

    Na Coreia do Norte mostraram um vídeo imitando um impacto de míssil nos EUA. O comentarista militar russo Viktor Baranets considerou este vídeo no ar da rádio Sputnik como um componente da propaganda antiamericana de Pyongyang.

    Na Coreia do Norte mostraram um vídeo com a imitação de um impacto de míssil nos EUA, informa a agência Yonhap.

    Durante as comemorações do 105.º aniversário do nascimento de Kim Il-sung, que era o avô do atual líder norte-coreano, foi mostrado um vídeo com o lançamento de um novo míssil balístico. Na imagem é visto como o projétil atravessa o oceano e impacta em uma das cidades americanas. No quadro seguinte aparece a bandeira americana ardendo com um cemitério em segundo plano.

    As solenidades decorreram em ambiente de uma escalada extraordinária da tensão na península da Coreia. Os especialistas coincidem na opinião que a Coreia do Norte pode efetuar o sexto teste nuclear ou um novo lançamento de míssil até o dia 25 de abril (aniversário da criação do Exército popular da Coreia).

    Estrela de rubi de uma das torres da fortaleza do Kremlin. Ao fundo, Grande palácio do Kremlin (foto de arquivo)
    © Sputnik/ Aleksei Druzhinin/Anton Denisov/Serviço de imprensa do presidente russo
    Washington disse muitas vezes que eles estão prontos a agir sobre Pyongyang com todos os meios disponíveis e a “impor a paz pela força”. A Coreia do Norte ameaçou responder a provocações com um ataque nuclear.

    O comentarista militar russo Viktor Baranets notou no ar do serviço russo da rádio Sputnik que este vídeo é uma componente da propaganda antiamericana da Coreia do Norte.

    "Todo o aparelho de propaganda da Coreia do Norte considera como inimigo número um, sem dúvida, os Estados Unidos, por isso de noite e de dia faz destes “disparos” informacionais em sua direção. Esta situação é a continuação das graves e complicadas relações americano-norte-coreanas. Eu penso que desta maneira Pyongyang compensa as atitudes ofensivas que por vezes vêm em sua direção a partir de Washington. Tenho certeza que lá já assistiram este vídeo e rangeram os dentes: os americanos não gostam de levar piparotes no nariz", diz Viktor Baranets.

    Segundo a opinião dele, a Coreia do Norte vai continuar os testes nucleares, dando um sinal aos EUA e países da região sobre a necessidade de diálogo.

    "Penso que os testes serão mesmo efetuados. Porque isso não é só um capricho da Coreia do Norte, que sonha em ganhar uma "armadura" nuclear segura, mas é também um sinal a Washington, Tóquio e Seul: rapazes, vamos chegar a um acordo, o que todas estas três partes não querem categoricamente. O que irrita sobretudo Pyongyang são os exercícios provocatórios que são realizados regularmente perto da fronteira da Coreia do Norte sob a égide dos EUA. Como início, Pyongyang pede para não realizarem esses exercícios. E, se existem nas cabeças dos diplomatas americanos e sul-coreanos restos de compreensão, eles deveriam responder a esse pedido – seria um passo em direção ao compromisso", notou o especialista militar.

    Tema:
    Tensão sem precedentes entre Coreia do Norte e EUA (186)

    Mais:

    China está preocupada com intenções nucleares da Coreia do Norte
    Coreia do Norte é 'a maior ameaça', mas 'estamos prontos para repelir qualquer ataque'
    Tags:
    Sputnik-Opinião, especialista, Casa Branca, desfile militar, Exército Popular da Coreia do Norte, Kim Il-sung, Península da Coreia, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik