02:33 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Grupo aéreo militar russo na base aérea de Hmeymim na Síria (foto de arquivo)

    Receita antiterrorista à italiana: resposta dura, mais armas, menos palavras

    © Sputnik/ Dmitry Vinogradov
    Defesa
    URL curta
    975770

    É um paradoxo, mas o mundo ainda não elaborou uma estratégia unificada contra o terrorismo internacional. Os países que financiam o terrorismo não sofrem medidas punitivas, enquanto a Rússia, que luta contra o terrorismo, sofre sanções europeias. Um especialista italiano propõe sua receita para vencer o terrorismo.

    Tendo como fundo a luta contínua contra a terrível ameaça dos terroristas internacionais que estão atingindo todo o mundo, a Sputnik Itália entrevistou Ranieri Razzante, um advogado italiano e professor na Universidade de Bolonha e da Universidade G. Marconi em Roma. Ele também é diretor do Centro de Pesquisas de Lavagem de Dinheiro e Financiamento do Terrorismo da Fundação Bruno Visentini na universidade LUISS em Roma e assessor da Comissão Parlamentar Antimafia.

    "A minha resposta pode ser trivial: precisamos de armas e guerra para vencer o terrorismo. A guerra que o terrorismo nos declarou exige uma resposta dura e menos palavras, apesar de também deverem ser aplicadas a diplomacia e o diálogo, como verdadeiras armas de Estado" disse ele a Sputnik.

    Ele ainda sugeriu que os países onde é praticado o islã tradicional ajudarão a vencer aqueles lunáticos que aderiram à religião da morte e desfiguram a verdadeira fé. Embora o islã tradicional possa ser uma grande ajuda, o especialista disse que deveria haver uma resposta militar ao terrorismo sob a forma de ataques militares contra os países que apoiam o terrorismo.

    "É necessário introduzir sanções contra os países que financiam o Daesh, devemos tomar uma atitude dura contra os países que o fazem por causa de seus próprios interesses. Eles devem ser sancionados pela Europa, pelos Estados Unidos e outros", destacou Razzante.

    Ranieri Razzante, advogado italiano e assessor da Comissão parlamentar anti-mafia, Universidade de Bologna
    © Foto: fornita da Ranieri Razzante
    Ranieri Razzante, advogado italiano e assessor da Comissão parlamentar anti-mafia, Universidade de Bologna
    Ranieri Razzante propôs que se for revelado e comprovado que um determinado país está financiando o terrorismo, o resto do mundo deve lhe impor um embargo. Deve haver também controle sobre os sistemas bancários e financeiros nos países fora da Europa, onde basicamente não há controle.

    "Eu não entendo por que em alguns países do Oriente Médio, Ásia e África não há quase nenhum controle sobre as transações bancárias. Existe um sistema inteiro de bancos que permite fornecer apoio financeiro ilegal aos extremistas islâmicos com a ajuda de doações e contribuições E não podemos mais fechar os olhos a isso", disse ele.

    Razzante, em seguida, comentou sobre o recente ataque terrorista que aconteceu em São Petersburgo, na Rússia, e que não foi amplamente noticiado na Itália. Os terroristas, disse ele, não fazem qualquer distinção entre países, declararam guerra a todo o mundo civilizado, à Europa, à Rússia, aos EUA e assim por diante.

    A Rússia está fazendo muito para a luta contra o terrorismo. Está liderando a coalizão antiterrorista na Síria e no Iraque. A Rússia, a Europa, os EUA e a OTAN, disse ele, devem se sentar à mesa de negociações e encontrar uma solução para o problema, que só pode ser resolvido através de esforços unificados a nível internacional.

    Mais:

    Síria pede ação da ONU contra o terrorismo
    Ministros da Rússia e dos EUA coordenam esforços conjuntos no combate ao terrorismo
    Tags:
    terrorismo islâmico, opinião, Daesh, Itália, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik