17:16 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Tanque Leopard 2 durante demonstração na Alemanha (foto de arquivo)

    Tanques alemães da Bundeswehr na Lituânia: o objetivo é intimidar a Rússia?

    © AP Photo / Michael Sohn
    Defesa
    URL curta
    46234
    Nos siga no

    Na sexta, o material bélico alemão, que inclui 20 veículos de combate de infantaria Marder e seis tanques Leopard 2, chegou à Lituânia para ser implantando em uma zona a 100 quilômetros da fronteira com a Rússia.

    A mídia alemã qualificou este passo como "missão de dissuasão da Rússia".

    "Assim, a concentração das forças alemãs está concluída, na próxima semana podemos passar aos exercícios", declarou Torsten Stefan, representante da Bundeswehr (Forças Armadas da Alemanha), citado pelo semanário Stern.

    O reforço do flanco oriental da OTAN foi decidido no verão de 2016 pelos países-membros do bloco. No âmbito dessa iniciativa se prevê o deslocamento de quatro batalhões adicionais da Aliança para a Polônia, Lituânia, Estônia e Letônia.  

    "A OTAN pretende desta forma reforçar o seu flanco oriental e conter a Rússia", acrescenta o Stern

    O colunista Jacob Augstein, do Der Spiegel, se mostra preocupado com a palavra "dissuasão" e com a utilização de palavras dos tempos da Guerra Fria. 

    "Será que é possível que a loucura da Guerra Fria esteja de volta? Iremos pensar na categoria de 'destruição mútua assegurada?'", pergunta o jornalista. 

    O deslocamento de forças da Bundeswehr para os países bálticos visa intimidar a Rússia. Entretanto, as autoridades alemãs querem aumentar as despesas militares e a mídia se interroga sobre o surgimento de uma bomba atômica na Alemanha.

    Mais:

    Militares das Forças Armadas da Alemanha chegam à Lituânia para 'conter a Rússia'
    Lituânia pretende construir muro na fronteira com Kaliningrado
    Tags:
    contenção, capacidade militar, material bélico, batalhões, deslocamento, reforço, informação, tensão, tanques, mídia, Leopard, OTAN, Lituânia, Alemanha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar