03:40 18 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Porta-aviões Admiral Kuznetsov no Atlântico

    Missão do Admiral Kuznetsov na Síria dissipa dúvidas sobre capacidade militar da Rússia

    © Sputnik / Serviço de Imprensa da Frota do Norte/Andrey Luzik/USO EDITORIAL
    Defesa
    URL curta
    27212

    O analista militar Aleksandr Zhilin disse à Radio Sputnik que a missão do Admiral Kuznetsov mostrou as capacidades da Rússia.

    "Acho que todos os objetivos colocados ao grupo naval foram cumpridos. Isto inclui a cooperação entre grupo de navios, a criação de interferências para o inimigo e missões aéreas em más condições", disse o analista ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    Ele acrescentou também que o deslocamento do Admiral Kuznetsov mostra que a Rússia tem na sua disposição meios de dissuasão não nucleares e é capaz de cumprir qualquer missão. 

    "Deixe o Pentágono e o Ministério da Defesa inglês dizerem o que quiserem, isso não passa de histeria. De um lado, eles estão afirmando que a Marinha da Rússia não é capaz de fazer nada. Depois, eles pedem mais financiamento. Para quê? Para poderem corresponder às nossas forças navais", afirmou ele. 

    Recentemente, o almirante russo Vladimir Korolev, comandante da Marinha russa, tinha acrescentado que a experiência obtida pelos pilotos navais russos e o prejuízo causado ao inimigo iriam contribuir para dissipar as dúvidas sobre as capacidades militares da Rússia.  

    "É uma experiência inestimável, incluindo o sucesso e os desafios que surgiram durante o processo, igualmente importante", comunicou Zhilin.

    ​O grupo naval encabeçado pelo porta-aviões Admiral Kuznetsov foi enviado para o Mediterrâneo para participar em combates contra o Daesh na Síria. O grupo chegou ao seu destino em 8 de novembro.

    Mais:

    Qual é a verdadeira razão da escolta do Admiral Kuznetsov pelo Reino Unido?
    Michael Fallon: Admiral Kuznetsov é o 'navio da vergonha' da Rússia
    Tags:
    combate, opinião, analista, cooperação, navios, Admiral Kuznetsov, Daesh, Mediterrâneo, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar