02:34 21 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Avião de reconhecimento da Força Aérea dos EUA RC-135 (foto de arquivo)

    Região russa de Kaliningrado atrai aviões de reconhecimento da OTAN

    © AFP 2018/ GREG DAVIS / USAF
    Defesa
    URL curta
    7220

    Os voos de aviões militares estrangeiros se intensificaram nesta zona após a Rússia ter deslocado mísseis S-400 Iskander e duas novas corvetas lança-mísseis para a região de Kaliningrado, situada entre a Lituânia e Polônia.

    Aviões militares suecos e norte-americanos executaram missões de reconhecimento perto das fronteiras marítimas da região russa de Kaliningrado, comunicou a mídia ocidental.

    Segundo as fontes ocidentais, um avião estratégico de reconhecimento dos EUA Rc-135W partiu da base aérea de Mildenhall, em Inglaterra, se aproximou da região de Kaliningrado, voando a uma altitude de 10 mil metros. Ele efetuou o reconhecimento do território russo durante mais de duas horas. 

    Um outro avião de reconhecimento, uma aeronave sueca Gulfstream IV, se aproximou ao mesmo tempo do território russo no sul do Báltico. Este avião partiu da base de Malmen (Suécia), efetuando o reconhecimento ao longo do litoral da região de Kaliningrado em uma altitude de 12 mil metros.

    Segundo a informação de fontes abertas, os aviões RC-135W se destinam a interceptar, registrar e analisar as comunicações através de rádio, a obter informação sobre o local de deslocamento e sobre os regimes de funcionamento dos sistemas eletrônicos de gestão de tropas terrestres, de defesa aérea e da aviação.

    Ultimamente, aviões militares dos EUA e de outros países da OTAN e da Suécia estão efetuando voos de reconhecimento perto das fronteiras ocidentais da Rússia e nas regiões do Báltico.

    Mais:

    OTAN qualifica de agressão a instalação de mísseis Iskander em Kaliningrado
    OTAN quer responder à instalação de Iskander em Kaliningrado
    Tags:
    fronteiras russas, deslocamento, reconhecimento, missão, base aérea, avião, espionagem, RC-135V, OTAN, Suécia, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik