21:41 19 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Porta-aviões Admiral Kuznetsov, da Marinha russa

    Qual é a verdadeira razão da escolta do Admiral Kuznetsov pelo Reino Unido?

    © Foto : The Northern Fleet
    Defesa
    URL curta
    27235

    Londres prometeu "monitorizar de perto o Admiral Kuznetsov, esse navio da vergonha", mas para o ministério da Defesa russo essa escolta não passa de um show dos militares britânicos.

    O ministério russo da Defesa chamou atenção para a declaração do secretário de Estado britânico da Defesa Michael Fallon relativamente ao grupo de porta-aviões russo que atravessava o Canal da Mancha para regressar à Rússia após a missão de combate cumprida, declarou no comunicado o general Igor Konashenkov.

    "O objetivo de tais declarações e desse show com cenas de escolta acompanhando os navios é de assim desviar a atenção dos contribuintes do estado real das coisas na Marinha Real britânica", comunicou o general Konashenkov.

    Os navios da guerra russos não necessitam de serviços da escolta, acrescentaram no ministério.

    "E em segundo lugar, gostaríamos de recomendar a Fallon para prestar mais atenção à Marinha britânica, tanto que teria boas razões para isso, segundo notou recentemente a mídia britânica" acrescentou Konashenkov falando sobre as afirmações recentes da mídia britânica sobre um erro durante o teste de um míssil lançado de submarino.

    Após ter sido anunciado que a Marinha da Grã-Bretanha pretende escoltar o grupo aeronaval russo no seu regresso, a mídia britânica revelou que a operação de vigilância do grupo aeronaval do Admiral Kuznetsov vai custar ao país 1,6 milhões de euros.

    Mais:

    Imagens do porta-aviões Admiral Kuznetsov nunca vistas anteriormente! (VÍDEO)
    Como o porta-aviões russo Admiral Kuznetsov compete com seus rivais dos EUA?
    Tags:
    defesa, mídia, escolta, reação, general, missão, porta-aviões, declaração, Admiral Kuznetsov, Ministério da Defesa, Michael Fallon, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar