13:50 16 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Nova arma de precisão automática Kalashnikov

    'Falhas estranhas' foram superadas: Venezuela produzirá Kalashnikovs

    Foto foi disponibilizada pelo consórcio Kalashnikov
    Defesa
    URL curta
    12184

    A fábrica Kalashnikov na Venezuela entrará em operação plena em 2019, disse o vice-primeiro-ministro russo Dmitry Rogozin, responsável pelo complexo industrial militar no gabinete de ministros.

    "Esperamos que a fábrica de fuzis AK-103 e munições funcione em pleno em 2019", disse Rogozin a repórteres. 

    Rogozin explicou que o equipamento industrial russo já está na Venezuela e que se aguarda o fim da construção do edifício da usina. Segundo ele, a estrutura do edifício está construída, faltando os acabamentos: instalação de portas, janelas, ligação às redes de água e luz.

    Mais cedo, o embaixador russo em Caracas, Vladimir Zaemski, disse que a construção da planta de fuzis Kalashnikov na Venezuela é um projeto emblemático da cooperação russo-venezuelana. 

    A construção de duas fábricas de Kalashnikovs na Venezuela foi suspensa em 2014. Dmitry Rogozin disse terem ocorrido "falhas estranhas". Em março de 2016 a empresa russa Rosoboronexport informou que os trabalhos se reiniciariam em 1º de abril.

    A Venezuela será o primeiro país, além da Rússia, onde será organizada a produção licenciada de fuzis Kalashnikov.

    Mais:

    Para onde vai excesso de armas após guerras nos Bálcãs?
    EUA: é mais fácil proibir a imagem de Kalashnikov do que armas reais
    Tags:
    Kalashnikov, Dmitry Rogozin, Rússia, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik