05:12 20 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    2412
    Nos siga no

    Todas as unidades de fuzileiros da Rússia estão agora equipadas com conjuntos de uniformes de combate Ratnik, informou o jornal Rossiyskaya Gazeta citando o segundo comandante da Guarda Costeira russa Dmitry Gnezdilov.

    Segundo ele, diferentemente da versão convencional do equipamento "Soldado do Futuro", a versão para fuzileiros incorpora um colete balístico "flutuante".

    Dmitry Semizorov, diretor da empresa fabricante do equipamento Ratnik, mais de 120 conjuntos já foram fornecidos às Forças Armadas russas em linha com a ordem dada pelo presidente russo Vladimir Putin. A ordem prevê equipar 70 por cento das tropas russas com Ratnik até 2020.

    O primeiro lote do equipamento Ratnik foi fornecido às Forças Armadas em 2015 após uma série de testes. Até o final do ano, serão entregues 70 mil conjuntos.

    O equipamento Ratnik, com um peso de 24 quilos, é composto por mais de 40 componentes, incluindo armas de fogo, armadura corporal, dispositivos ópticos, de comunicações e navegação e sistemas de suporte de vida. A última versão do equipamento garante maior eficiência e sobrevivência em combate do soldado e possui armadura duas vezes mais forte.

    O equipamento Ratnik é destinado a snipers, atiradores, motoristas de veículos blindados e artilheiros de aeronaves de combate.

    Foi destacado que o equipamento Ratnik permite que o soldado mantenha contato estável via rádio com outras unidades e receba constantemente dados atualizados de reconhecimento das posições do inimigo e da situação geral no campo de batalha, o que o faz uma máquina de combate inteligente.

    Mais:

    Rússia cria novo aparelho respiratório para paraquedistas mergulhadores militares
    Rússia substitui equipamento blindado na Transnístria
    Tags:
    Rússia, Vladimir Putin, Forças Armadas da Rússia, equipamento militar, armadura, armas de fogo, colete à prova de balas, combate, soldados
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar