20:12 20 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Caça russo Sukhoi Su-35

    Especialista: daqui a 10 anos, Forças Armadas russas conseguirão repelir qualquer ameaça

    © Foto: JSC Sukhoi Company
    Defesa
    URL curta
    904666442

    Dentro dos próximos 10 anos, as Forças Armadas da Rússia alcançarão o nível de preparação de pessoal e desenvolvimento de armas que lhes permitirá repelir qualquer ameaça à segurança nacional.

    A declaração foi feita por Konstantin Sivkov, presidente da Academia de Problemas Geopolíticos e doutor em ciências históricas, durante mesa redonda na agência Rossiya Segodnya.

    Segundo ele, caso as tendências atuais se mantenham, mais ou menos daqui a uma década, as Forças Armadas russas "poderão garantir a paz e a ordem a nível global", anunciou Sivkov.

    Anteriormente, o especialista destacou em várias ocasiões que, nos dias atuais, as Forças Armadas russas são capazes de efetuar simultaneamente apenas duas guerras locais similares às campanhas chechenas dos anos 1990 e 2000, por proporção.

    Na opinião dele, as Forças Armadas russas alcançarão a realização plena, caso a Rússia adote o desenvolvimento de novos tipos de armamentos que não possuem análogos no mundo. Como exemplo, Sivkov cita mísseis hipersônicos Tsirkon e o cruzador pesado modernizado do projeto 1144 Orlan, armado com mísseis deste tipo.

    Além disso, Sivkov destacou as vantagens dos aviões modernos russos quando comparados a seus rivais europeus e norte-americanos.

    Segundo ele, "em vários parâmetros, os aviões Su-34 e Su-35 superam a maioria dos aviões, levando em consideração também sua rentabilidade. Hoje, um avião abatido F-22 representa uma grande perda para a economia dos EUA". 

    Mais:

    Rússia e mais 6 países começam manobras de defesa antiaérea de grande escala
    Ministro da Defesa russo: ações da OTAN obrigam que Rússia tome medidas de resposta
    Tags:
    guerras, rivais, cruzador, mísseis supersônicos, armamentos, F-22, Su-35, Su-34, Orlan, Rossiya Segodnya, Forças Armadas da Rússia, Konstantin Sivkov, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik