16:00 12 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Inauguração dos exercícios táticos conjuntos das forças especiais da Guarda Nacional da Rússia e da Polícia Armada do Povo da China (PAP) Cooperação-2016

    Especialista: Rússia e China poderão realizar terceiros exercícios militares anuais

    © Sputnik / Mikhail Voskresenskiy
    Defesa
    URL curta
    10232
    Nos siga no

    Durante o VII Fórum de segurança de Xiangshan em Pequim, o vice-chefe da direção operacional do Estado-Maior conjunto do Exército de Libertação Popular da China Cai Jun informou que em 2017 a Rússia e a China realizarão as segundas manobras militares na área de defesa antimíssil.

    Os primeiros exercícios militares dos dois países, Aerospace Security 2016, decorreram na Rússia em maio.

    Assim, provavelmente se iniciará uma prática de terceiros exercícios anuais russo-chineses, além das manobras Peace Mission e Sea Interaction, aponta o especialista russo em questões militares Vasily Kashin em entrevista à Sputnik China.

    "Em maio, nos exercícios foram usados sistemas antimísseis HQ-9 que podem ser uados contra mísseis balísticos de curto alcance", aponta Kashin.

    Segundo ele, a questão do desenvolvimento das manobras conjuntas russo-chinesas representa um grande interesse. A Rússia e a China estão desenvolvendo um sistema de defesa antimíssil estratégico capaz de interceptar alvos balísticos, inclusive satélites em órbitas baixas.

    A Rússia possui um sistema potente de aviso sobre ataque com mísseis nucleares, enquanto a China está trabalhando para construir as componentes terrestres desse sistema, ou seja, uma série de radares de alerta precoce. Os EUA são a ameaça principal para ambos os países, ressalta o especialista.

    "Do ponto de vista político, os exercícios russo-chineses de defesa antimíssil parecem ser uma reação à instalação do sistema THAAD na Coreia do Sul", sublinha.

    Na opinião de Kashin, uma resposta militar razoável seria posicionar meios de ataque russos e chineses de forma a poderem destruir instalações de defesa antimíssil dos EUA no sul da península coreana. Estes meios poderiam ser mísseis balísticos e mísseis de cruzeiro da China posicionados no nordeste do país.

    Quanto à cooperação entre a Rússia e a China na área da defesa antimíssil, ela pode ser considerada como consequência das relações dos dois países com os EUA e um indicador importante da aproximação entre eles, conclui Kashin.

    Mais:

    Especialistas: China e Rússia estão juntos na Síria
    Generais dos EUA preveem conflitos sangrentos com Rússia e China
    Tags:
    sistema antimísseis, alvos táticos, mísseis balísticos, manobras, exercícios militares, THAAD, HQ-9, Península Coreana, Coreia do Sul, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar