17:03 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Tanque da terceira geração T-14 Armata

    Tanques russos obtêm complexo avançado de resistência eletro-ótica

    © Sputnik/ Mikhail Voskresensky
    Defesa
    URL curta
    71659211

    Atualmente, estão sendo realizados testes do sistema de instalação de cortina nos veículos de combate russos Armata, Kurganets e Bumerang.

    O Ministério da Defesa da Rússia já realizou testes de um complexo avançado de resistência eletro-ótica, que será instalado nos tanques russos Armata, Kurganets e Bumerang. Este sistema é capaz de detectar raios infravermelhos, apontados para o tanque, e foguete que está se aproximando do veículo, fazendo com que o tanque crie uma cortina de fumaça especial, tornando-o imperceptível até a visão em infravermelho, escreve o jornal Izvestiya.

    "Estão sendo realizados testes do sistema. Planejamos concluir todo o trabalho até o fim do ano", contou à Izvestiya uma fonte do Ministério próxima a elaboração.

    A elaboração do projeto é de responsabilidade do complexo científico-tecnológico Elektromashina, empresa filial da corporação Uralvagonzavod. Os representantes da corporação confirmaram a informação sobre a realização de testes do sistema avançado, mas não divulgaram detalhes concretos.

    O especialista militar, Oleg Zheltonozhka, disse à Izvestiya que tal sistema russo não tem parecidos no Ocidente. Segundo ele, na Europa, surgiram algumas ideias similares, mas elas não foram realizadas, já os EUA, nunca realizaram pesquisas em tal área. O exército ocidental sempre deposita esperanças nos sistemas de defesa passivos, como no aprimoramento da blindagem e do deslocamento dos veículos bélicos, conclui.

    Mais:

    Exército da Rússia começa a receber tanques T-14 Armata
    Tanque Armata será equipado com novas munições
    Rússia assina primeiro contrato de fornecimento de mais de 100 tanques Armata
    Tags:
    veículos blindados, armas, tanques, Bumerang, Armata, Kurganets-25, Ministério da Defesa, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik