22:38 20 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Sukhoi Su-35

    Rússia pretende fornecer quatro aviões Su-35 à China em 2016

    © Foto/ Sukhoi Company
    Defesa
    URL curta
    60222
    Nos siga no

    Até o final do ano uma fábrica de construção aeronáutica da região de Kahabarovsk, no Extremo Oriente da Rússia, fornecerá à China quatro aviões Su-35.

    O respectivo anúncio foi feito pelo governador da região Vyacheslav Shport na cerimônia de abertura de uma nova unidade do fabricante.

    Segundo ele, entre 2016 e 2018 está prevista a fabricação e entrega de 24 aviões Su-35 à China, enquanto no ano em curso esse país receberá quatro aviões.

    Antes tinha sido divulgado que o contrato para fornecimento de 24 caças multifuncionais Su-35 da geração 4++ tinha sido assinado em 2015. A geração 4++ significa que o modelo Su-35 se aproxima de um caça da quinta geração pela maioria de suas características.

    De acordo com especialistas russos, o Su-35 poderá se tornar o principal rival dos caças F-15, Eurofighter e Rafale, pois em alguns parâmetros ele até ultrapassa os aviões militares da quinta geração da OTAN. O avião russo não perde para os melhores caças ocidentais da quarta geração. 

    A velocidade do Su-35 e sua capacidade de carga militar permitem-lhe combater fora do alcance visual direto, enquanto sua manobrabilidade e meios de aviônica o ajudam a manobrar para escapar aos mísseis do inimigo.

    Atualmente 48 unidades do Su-35 estão sendo usados pela Força Aérea da Rússia, mas seu número duplicará nos próximos cinco anos. Cabe notar que vários países, incluindo Argélia, Egito, Venezuela e Vietnã se mostram interessados em adquirir o caça russo.

    Mais:

    Japão aumentará letalidade de seus jatos F-15 em meio a tensões com a China
    Caça russo T-50 será onividente
    Tags:
    aviônica, manobras, quinta geração, multifunção, caça, F-15, Eurofighter Typhoon, Rafale, Su-35, Vietnã, Venezuela, Egito, Argélia, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar