03:57 24 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Mergulhadores militares russos durante exercícios

    Rússia cria novo aparelho respiratório para paraquedistas mergulhadores militares

    © Sputnik/ Олег Ласточкин
    Defesa
    URL curta
    EXÉRCITO 2016 (19)
    22472280

    O novíssimo aparelho respiratório de circuito fechado, que supera todos seus análogos, foi elaborado para os paraquedistas-mergulhadores da Rússia, informa a assessoria de imprensa do Ministério da Defesa russo.

    O equipamento moderno, junto com um sistema especial de paraquedas elaborado por especialistas do Escola Superior de Paraquedistas de Ryazan e da Universidade Técnica Naval Estatal de São Petersburgo, foi pela primeira vez apresentado no fórum internacional técnico militar EXÉRCITO 2016.

    Atualmente, as unidades de operações especiais do exército russo utilizam o equipamento de mergulho Amfora de circuito fechado de respiração.

    Segundo o comunicado, "um aparelho de respiração de fixação peitoral que por suas características supera o famoso Amfora foi criado para os mergulhadores de combate das tropas paraquedistas".

    De acordo com as informações, o novo traje de mergulho permitirá realizar operações subaquáticas encobertas através de desembarque em paraquedas de maneira furtiva.
    O novo equipamento tem um saco respiratório protegido. Os desenvolvedores conseguiram diminuir significativamente o peso do aparelho usando materiais compósitos. Além disso, o aparelho tem equipamento digital avançado de controle e navegação.

    Segundo é previsto, a novidade permitirá aos paraquedistas se movimentarem de maneira invisível debaixo de água, realizar proteção de obras hidráulicas e operações de luta antissubversiva.

    Tema:
    EXÉRCITO 2016 (19)

    Mais:

    Argentina pode realizar em 2017 fórum de cooperação militar com a Rússia
    Abertura do fórum militar EXÉRCITO 2016
    Tags:
    paraquedistas russos, submersível, mergulhadores, equipamento, EXÉRCITO 2016, São Petersburgo, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik