09:51 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Navios do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica perto de USS Nitze americano 25 de gosto de 2016

    Ex-almirante: Marinha iraniana comete ações 'perigosas e imprudentes'

    © YouTube/Stars and Stripes
    Defesa
    URL curta
    18132209

    As ações perturbadoras contra quatros navios de guerra americanos cometidas pela marinha do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica é uma provocação imprudente que pode levar a erros de cálculo, disse à Sputnik Pete Daly, executivo do Instituto da Marinha norte-americana.

    A força naval do Irã provocou quatro navios da Marinha dos EUA, que recentemente navegavam no golfo Pérsico, obrigando os militares norte-americanos a disparar tiros de advertência para fazer parar as manobras agressivas, declarou na quinta-feira (25) Peter Cook, porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA.

    "Isto é uma coisa muito perigosa e imprudente, é uma provocação que tem todas as chances para causar um erro de cálculo", disse Pete Daly na quinta-feira (25). "Depois dos tiros de advertência, se o comandante no local acredita que há uma intenção hostil, o navio terá que abrir fogo sobre os alvos."

    Um dos navios da Marinha americana que foi sujeito a provocações, o USS Squall, disparou tiros de aviso contra os navios iranianos, fazendo-os se desviarem.

    "Todos os navios dos EUA têm o direito inerente a se defenderem", adicionou Pete Daly.

    Os navios de superfície Tempest, Nitze e Stout também usaram meios da comunicação e foguetes de sinalização para afastar as lanchas rápidas iranianas.

    Peter Cook sublinhou que há o risco de escalada da tensão entre Washington e Teerã caso eles continuem se comportando de modo pouco profissional.

    Mais:

    EUA reconhecem que pagaram para liberar cidadãos americanos do Irã
    Mídia: EUA pagaram US$400 milhões pela libertação de americanos presos no Irã
    EUA garantem segurança dos bombardeiros russos que voaram do Irã para a Síria
    Tags:
    advertência, Marinha, segurança, Golfo Pérsico, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik