14:40 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Bombardeiro Tu-160 é escoltado por um caça Su-27 em um voo de treinamento da Força Aérea da Rússia

    Conheça forças aéreas nacionais mais poderosas do mundo

    © Sputnik / Anton Denisov
    Defesa
    URL curta
    2305
    Nos siga no

    O jornal Nacional Interest compôs uma lista de países que vão dominar o espaço aéreo mundial até 2030. A lista inclui as principais potências mas há novos países.

    Os Estados Unidos, a Rússia e o Reino Unido continuam a manter forças aéreas modernas, numerosas e de fácil deslocamento, vitais para a sua segurança nacional.

    Estados Unidos

    Em 2030, a Força Aérea dos EUA estará completada com a frota de 187 F-22 Raptors. Nas operações serão usados "Golden Eagles", F-15C com radares  sensores infravermelhos modernizados. A Força Aérea também comprará 1.763 novos caças F-35A Joint Strike para substituir os F-16C e A-10. A USAF também terá parcialmente rejuvenescido a sua frota com 100 navios-tanque KC-46 Pegasus. A produção do bombardeiro B-21 permitirá fornecer cerca de 100 aviões à Força Aérea.

    China

    Shenyang J-11
    © Foto / US Department of Defense / D. Myles Cullen
    Shenyang J-11

    A Força Aérea da República Popular da China também está em plena modernização. O número de aeronaves está caindo, mas a sua qualidade, incluindo os caças Su-30, J-11, J-15 e J-10, está aumentando. Essas aeronaves são de "quarta geração +". No entanto, para manter a paridade com os Estados Unidos e outras potências, a China está desenvolvendo  os caças de quinta geração J-20 e J-31, que devem ser um sucesso.

    Rússia

    Sukhoi PAK FA, conhecido também como T-50
    © AP Photo / Misha Japaridze
    Sukhoi PAK FA, conhecido também como T-50

    Os dois programas mais importantes para a Força Aérea russa são o do caça PAK-FA e o do bombardeiro estratégico PAK-DA, que podem fazer com que a Rússia venha a ter a segunda força aérea mais poderosa do mundo. Também conhecido como T-50, o PAK-FA deve ser a resposta russa ao F-22 Raptor, o caça norte-americano. A Rússia não pode continuar com os MiG-29, Su-27/30/34 modernizados para sempre. O programa PAK-DA, projetado para produzir um bombardeiro estratégico furtivo (stealth), subsônico, com capacidade nuclear, é necessário para substituir os Tu-160 e Tu-22M, que foram desenvolvidos na União Soviética há 30-50 anos atrás.

    Israel

    Caça americano US F-15 Strike Eagle
    © Sputnik / Grigoriy Sisoev
    Caça americano US F-15 Strike Eagle

    Hoje, a Força Aérea de Israel consiste de 58 caças F-15, vinte e cinco caças F-15I, e 312 aviões multi-função F-16. Em 2030, a Força Aérea israelita provavelmente continuará a ser a mais poderosa em toda a região do Oriente Médio.

    Em 2030 a frota de F-15 terá extrema necessidade de substituição. Infelizmente não há ainda nenhuma substituição direta para o F-15C, porque a produção dos F-22 Raptor terminou em 2011. Israel será forçado a prolongar a vida útil do seu F-15C ou a recorrer nas suas missões aos F-35 Joint Strike Fighter, pelo menos até que um caça norte-americano de sexta geração fique disponível.

    Mais:

    Restrição de orçamento deixa Força Aérea dos EUA com frota 'pequena e velha'
    Será que não são capazes de combater? Força Aérea dos EUA tem falta dramática de efetivos
    Coronel americano: Força Aérea dos EUA precisa avançar se quiser manter supremacia
    Tags:
    supremacia aérea, Força Aérea, caça, bombardeio, F-15, PAK DA, Tu-22M3, PAK FA, Tu-160, F-35, J-20, Israel, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar