05:25 19 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Patrulha da polícia em Lille, França

    'O problema da França é que não se pode falar do problema'

    © REUTERS / Benoit Tessier
    Defesa
    URL curta
    241
    Nos siga no

    Armar as forças de ordem pública com armas de cano longo e permitir aos agentes terem sempre a arma com eles, rever a legislação para que os policiais possam atirar contra um terrorista não tendo receio de perseguição judicial.

    Eis as sugestões que um policial francês considera necessárias para defender a França do terrorismo.

    A fim de prevenir atentados semelhantes ao que ocorreu em Nice e garantir a segurança na França, é necessário rever o sistema de segurança em geral, disse à Sputnik um agente da unidade especial (Compagnie Républicaine de Sécurité – CRS) que preferiu manter o anonimato.

    Respondendo à pergunta sobre o que é possível fazer hoje para prevenir atentados, o policial disse que, em primeiro lugar, é bastante difícil parar um veículo que segue com máxima velocidade.

    "Quando alguém está tem uma posição decisiva, podemos colocar todos os policiais do mundo, mas acho que ele conseguirá fazer o que quiser. A saída da situação é definir que todos os terroristas devam cumprir pena de prisão em cárcere", destacou.

    Porém, de acordo com o policial, frequentemente os juízes são demasiado indulgentes em relação aos terroristas, enquanto deviam simplesmente mandar os infratores estrangeiros para fora da França. Ele acha necessário que deva existir mais cooperação entre os ministérios do Interior e da Justiça e entre os vários serviços especiais e para que haja mais rigor.

    "É preciso que as pessoas que cometem violações à lei de caráter criminal, pelo menos permaneçam na prisão durante todo o prazo da pena. Às vezes, antes de ir para a prisão, algumas pessoas têm 50 infrações no ativo e nem logo são condenadas", se indigna o policial.

    Expulsar infratores estrangeiros

    O entrevistado da Sputnik informa que "às vezes a Justiça francesa não faz seu trabalho quando se trata de um cidadão estrangeiro que possui autorização de residência. Seria bom se o condenado fosse privado da sua autorização de residência para obrigá-lo a voltar ao país dele, proibindo sua permanência na França", declarou.

    "Estas pessoas que cometeram violações à lei de caráter criminal comum não precisam ficar em território francês, eles poderiam ir embora… A nível penal a punição nem sempre se aplica em pleno. Para mim, isso significa que a Justiça não faz seu trabalho", disse o policial.

    Permitir aos policiais portar permanentemente arma de fogo de serviço

    É importante armar as forças da ordem pública com arma de cano longo. "Não sei como se pode parar um veículo que segue com máxima velocidade, mas se a polícia usasse carabinas ou arma de cano longo, ele poderia ser parado rapidamente. Seria bom", afirma o policial.

    Mas não é fácil fazê-lo, segundo ele acha, "porque para seu uso são necessários também meios legais, por isso é preciso rever a legislação para que as forças de ordem pública possam abrir fogo contra um criminoso ou terrorista não se arriscando serem punidas".

    "Agora, antes de abrir fogo, o policial tem que pensar bem se ele vai agir no âmbito da lei e se contra ele serão impostas sanções", explica.

    Mais:

    Militares italianos reforçam fronteira entre Itália e França
    Atentado durante Festa Nacional deixa dezenas de mortos e feridos na França
    Tags:
    punição, policial, atentados, prisão, terrorismo, Sputnik Brasil, Ministério da Justiça, Ministério do Interior, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar