00:38 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Soldados russsos durante os exercícios militares

    Exercícios inesperados: OTAN acusa Rússia

    © Sputnik/ Kiril Kuhmar
    Defesa
    URL curta
    23473

    No período de 14 a 22 de junho na Rússia será realizada uma inspeção inesperada da prontidão de combate do exército. Será a primeira vez que todos os quatro distritos militares estarão envolvidos simultaneamente.

    Em resposta, surgiu uma crítica imediata por parte da OTAN. O secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg se queixou que tais verificações inesperadas "violam a transparência e possibilidade de previsão" e também torna impossível seu controle.

    "Um dos desafios que colocam os exercícios inesperados se coloca por eles serem um meio de não cumprir as obrigações e de não avisar da realização de exercícios inesperados", disse Stoltenberg.

    O Ministério da Defesa aponta, entretanto, que a Rússia tinha informado os adidos militares dos países membros de Documento de Viena de 2011 sobre a verificação inesperada das Forças Armadas. A Rússia divulgou toda a informação voluntariamente.

    "Isto é uma prova da intenção do Ministério da Defesa da Rússia em desenvolver as medidas voluntárias de transparência e de intensificação da confiança", disse um representante do ministério.

    De acordo com o documento de Viena de 2011, os países membros da OSCE (57 países da Europa, Ásia e América) devem trocar informações sobre as forças militares e sistemas principais de armamento e equipamentos, sobre planejamento no âmbito da defesa e orçamentos militares.

    O documento prevê o mecanismo de consultas e cooperação em ligação com a atividade militar extraordinária relativamente a incidentes perigosos do caráter militar.

    Mais:

    Rússia começa exercícios navais perto da Crimeia
    Exercícios militares conjuntos entre EUA e Coreia do Sul preocupam a Rússia
    Tags:
    informação, confiança, intensificar, desafios, exercício militar, crítica, OTAN, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik