11:19 13 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Avião de transporte militar Il-76

    Que área da cooperação russo-chinesa é mais promissora?

    © Sputnik/ Iliya Pitalev
    Defesa
    URL curta
    2162

    Segundo as publicações da mídia chinesa, a produção em série dos aviões de transporte militar Y-20 pode começar ainda neste ano. Dos volumes da produção vai depender a capacidade da China de criar sua aviação estratégica de transporte militar, afirmou em uma entrevista à agência Sputnik o especialista na matéria militar Vasily Kashin.

    De acordo com publicações de analistas militares chineses, o Exército de libertação popular (ELP) chinês pode requerer até 100 aviões pesados de transporte militar para garantir a mobilidade global de suas forças armadas, a evacuação dos seus cidadãos de regiões instáveis do mundo e outras tarefas relacionadas com a segurança. Além disso, serão necessárias de 50 a 60 aeronaves para produzir, na base deles, aviões de reabastecimento, aviões com sistema aéreo de alerta e controle e aeronaves de guerra eletrônica.

    ​Até agora, a aeronave produzida em massa era o avião de transporte Y-8. Sua produção começou em 1981 e já foram montadas 169 unidades até 2010. A taxa média de produção era de cerca de 5-6 máquinas por ano. Em geral, o potencial de produção da indústria chinesa era pequeno.

    A China está se preparando para lançar simultaneamente a produção de três novos modelos de aeronaves grandes. São os aviões de passageiros C919, Y-20 e o hidroavião Jiaolong. Ao mesmo tempo, está continuando a produção de aviões de transporte de tamanho médio Y-8/Y-9, assim como de bombardeiros de longo alcance H-6K.

    A China está enfrentando a necessidade de aumentar drasticamente sua capacidade de produção de aeronaves grandes. É bem conhecido que a modernização da fábrica de aviação em Xi'an, com a perspectiva da produção de aeronaves Y-20, começou ainda em 2008. Mas a construção das instalações de produção e a compra de equipamentos é menos difícil do que a preparação de pessoal.

    O aumento rápido do número de funcionários pode levar à diminuição da qualidade da formação deles e, como resultado, reduzir a qualidade do produto final. A construção de novos aviões, mesmo após a conclusão de todo o ciclo de ensaio, continuará crescendo lentamente. É possível que nos primeiros anos a taxa de produção dos aparelhos não supere as 2-4 unidades por ano. Isto significa que, mesmo com a aeronave pronta para produção em série, a China terá que importar aviões de transporte russos Il-76.

    ​As necessidades do ELP em aeronaves de transporte podem crescer mais rápido do que a capacidade da produção da indústria chinesa. O exército chinês está aumentando sua participação em operações de paz da ONU e outras. A China construiu sua primeira base militar no estrangeiro no Djibuti e é provável que construa outras.

    Assim, a aviação de transporte militar continua sendo uma área promissora na cooperação russo-chinesa.

    Mais:

    Ministério da Defesa da China: intercepção de avião espião dos EUA foi medida necessária
    China desenvolve avião para concorrer com Boeing e Airbus
    Tags:
    Força Aérea, complexo militar-industrial, produção, aviação militar, aeronave, transporte aéreo, Il-76, ONU, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik