03:46 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    20193
    Nos siga no

    Destinados a proteger a frota britânica dos ataques aéreos, os navios de guerra avançados Type 45 se tornaram em um alvo fácil para os inimigos do Reino Unido devido a uma falha técnica, informou o jornal Daily Mail nesta quinta (9).

    De acordo com o jornal, o problema está relacionado com as turbinas a gás produzidas pela empresa Rolls-Royce, que se desaceleram ao entrar nas águas mais quentes que as do Mar do Norte.

    A deslocação desses navios para zonas de combate no Golfo Pérsico poderia ameaçar o contingente britânico por eles poderem ser facilmente atingidos por mísseis inimigos.

    Atualmente, os quatro navios de guerra (com um valor de 1.455 milhões de dólares cada) têm essas falhas técnicas mencionadas. Um deles está fora da Europa, enquanto os outros três contratorpedeiros estão navegando em águas do Reino Unido.

    De acordo com o jornal, para reparar estes navios são necessários pelo menos 10 milhões de libras (mais de 49 milhões de reais) por causa da necessidade de instalar geradores diesel adicionais.

    Vários membros do parlamento do país expressaram sua preocupação com o assunto, uma vez que este problema ameaça as tropas britânicas.

    A situação piorou quando dois ex-chefes da Marinha afirmaram que o serviço ficou sem dinheiro após a necessidade de manutenção dos contratorpedeiros que também adiará a realização de outros programas.

    Lord West, almirante da Marinha britânica, afirmou que os futuros atrasos poderiam deixar a frota do pais "em estado extremamente inadequado" para cumprir suas tarefas.

    Mais:

    EUA pressionam Rússia com destróier no mar Báltico
    Lavrov e Kerry discutem incidente com os Su-24 russos que 'assustaram' destróier dos EUA
    Kerry: destróier norte-americano tinha direito de abater Su-24 russos
    Tags:
    financiamento, ameaça, custos, falha, navio, contratorpedeiro, destróier, Marinha, Rolls-Royce, Reino Unido, Golfo Pérsico, Mar do Norte, Grã-Bretanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar