02:16 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Paraquedistas americanos em treinamento na Estônia

    Estônia apoia fortalecimento militar da OTAN no Báltico

    © flickr.com/ U.S. Army Europe Images
    Defesa
    URL curta
    7310

    A Estônia contribui para os planos da OTAN de posicionar soldados nos países bálticos, afirmou neste sábado o ministro da Defesa da Estônia, Hannes Hanso.

    Os planos da OTAN de posicionar mais poderio militar nos países do Báltico são importantes, e a Estônia se esforça para sua implementação, afirmou Hannes Hanso, ministro da Defesa da Estônia, neste sábado.

    Anteriormente, o Wall Street Journal publicou que os países da OTAN estão se preparando para posicionar 4 mil soldados — quatro batalhões — nos países bálticos e na Polônia. A medida faz parte da estratégia da Aliança de aumentar seu poderio militar nas fronteiras com a Rússia.

    “Aliados perceberam que em nossa região a OTAN não esta apenas protegendo a segurança, mas a OTAN inteira. Todos devem entender que a OTAN defende suas fronteiras onde há desafios de segurança e eles estão presentes em nossa região neste momento. O posicionamento de unidades adicionais aqui é totalmente compreensível e bem-vindo. Trabalhamos muito em nome deste objetivo”, disse Hanso, citado pela assessoria de imprensa do ministério.

    Desde 2014, a OTAN vem aumentando sua presença no leste europeu, principalmente nos países que têm fronteiras com a Rússia. O pretexto para tal é a suposta interferência russa na crise ucraniana.

    Moscou repetidamente nega participação nas questões internas da Ucrânia e afirma que o fortalecimento militar da OTAN é uma ação provocação que pode prejudicar a segurança e a estabilidade globais.

    Mais:

    Rússia nega ter violado o espaço aéreo da Estônia
    EUA fornecem canhões autopropulsados à Estônia
    Presença da OTAN prejudica turismo da Estônia
    Chancelaria russa: base aérea da Estônia é provocação
    Tags:
    ameaça russa, provocação, fronteira, fortalecimento, militar, OTAN, Rússia, Estônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik