11:33 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    O radar Globus-II em Vardo, Noruega

    Novo radar americano na Noruega vai vigilar Rússia

    © flickr.com/ Amanda Graham
    Defesa
    URL curta
    19540
    Nos siga no

    A Inteligência norueguesa divulgou à imprensa os primeiros planos do novo complexo de radar cujo objetivo é vigilar a Rússia.

    O radar Globus III, que fica em Vardo, no norte da Noruega, informará o comando militar dos EUA responsável pelas operações nucleares e espaciais sobre as atividades russas, disse a emissora Norwegian Broadcasting Corporation (NRK, na sigla em inglês).

    O radar Globus III é um projeto conjunto do comando das Forças Aéreas dos EUA e do Serviço da Inteligência norueguesa. A construção do novo radar será terminada até o ano 2020 e vai custar cerca de um bilhão de coroas norueguesas (US$ 121 milhões). O novo sistema vai complementar o existente radar Globus II, mas com a capacidade de recolher dos dados maior.

    O sistema dos radares Globus em Vardo, Noruega
    Norwegian Armed Forces
    O sistema dos radares Globus em Vardo, Noruega
    Secundo a Inteligência norueguesa, o novo radar vai monitorar e classificar objetos no espaço, "servindo os interesses nacionais da Noruega no norte", e coletar os dados importantes para pesquisa e ciência nacional.

    No entanto, a emissora norueguesa no comunicado de imprensa não informou que o novo radar será ligado com o comando militar dos EUA.

    "O documento americano oficial [que se refere ao radar] oferece uma versão diferente", prossegue a NRK. "O radar em Vardo será conectado com o radar na Base Aérea de Eglin, em Florida. Os dois complexos estão subordinados ao 1º Esquadrão de Controle Espacial (The First Space Control Squadron, em inglês), em Colorado. Esta unidade, por sua vez, está subordinada à 21 Asa Espacial (Space Wing), cuja única missão é alertar o governo dos EUA sobre os ataques nucleares e outras ameaças militares no espaço".

    Allen Thomson, ex-analista da CIA, disse ao NRK que acredita que o novo sistema de radar será idêntico ao sistema de radar Ground-Based Radar Prototype (Protótipo de radar baseado em terreno, GBR-P, na sigla em inglês) usado para detecção dos mísseis. Durante a presidência de George W. Bush, o sistema GBR-P foi colocado na República Checa como parte do Sistema de Defesa Antimíssil (DAM).

    Por seu lado, o Ministério da Defesa norueguês já tinha rejeitado varias vezes a ideia de participar de um projeto conjunto de defesa antimíssil com os EUA.

    "Eu acredito que o radar Globus III vai realizar as mesmas tarefas como o Globus II, só que melhor", observou Thomson.

    Por sua parte, Charles P. Vick, pesquisador do grupo de análise da defesa de GlobalSecurity.org com a sede em Washington, diz que o novo radar em Vardo pode ser um componente do novo sistema norte-americano chamado Cerca Espacial (Space Fence, em iglês), um projeto das Forças Aéreas dos EUA de $1,59 bilhões de dólares, destinado para detecção de todos os tipos dos mísseis balísticos intercontinentais (ICBM, na sigla em inglês) e satélites artificiais na órbita da Terra. Esse sistema entrará em operação em 2019-2020, ao mesmo tempo quando o complexo de Vardo será termiado.

    Finalmente, Theodore Postol, professor da ciência, tecnologia e segurança internacional do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), sugere que o novo complexo é projetado especialmente para controlar a atividade militar da Rússia.

    "O fato que o radar está localizado em Vardo [um município Finnimark, que faz fronteira com a Rússia] confirma que a tarefa do radar pode ser ligada com a recolha de dados sobre os ensaios dos mísseis feitas por submarinos russos em Plesetsk [no noroeste da Rússia] e na Kamchatka [no extremo Oriente da Rússia]".

    Mais:

    EUA enviam três bombardeiros estratégicos B-52 à Noruega
    Entrando numa fria: Cold Response reúne 15 mil soldados na região sub-ártica da Noruega
    Tags:
    inteligência, sistema de defesa antiaéreo, vigilância, radar, Washington, Colorado, Plesetsk, Kamchatka, EUA, Noruega, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar