15:49 18 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Helicópteros Ka-32 e navio de guerra da Flotilha do Mar negro da Rússia

    Rússia reforçará fronteira marítima com a Turquia

    © Sputnik/ Max Vetrov
    Defesa
    URL curta
    Defesa da Rússia (214)
    16611

    A Rússia planeja reforçar sua patrulha fronteiriça no Mar Negro, onde faz fronteira com a Turquia, e também no Mar Cáspio, informa nesta terça-feira o jornal russo Izvestia.

    Para isso, o Serviço Federal de Segurança russo, FSB, espera adquirir seis helicópteros rápidos Ka-226T pelo valor equivalente a US$ 33,7 milhões.

    Segundo a reportagem, o objetivo principal dos helicópteros será a luta contra o terrorismo e a pirataria marítima.

    O aumento das medidas de segurança se deve à situação na Síria, onde a Rússia bombardeia as posições do Daesh (grupo terrorista Estado Islâmico), assim como à atual tensão com a Turquia, cuja aviação derrubou um caça russo Su-24 há uma semana.

    Os novos helicópteros realizarão patrulha de grandes distâncias, sendo capazes de detectar qualquer movimento em um raio de 600 quilômetros, e ficarão encarregados também das tarefas de inteligência.

    O capitão aposentado Vasili Dandikin acredita que após o incidente com o Su-24, a OTAN aumentará sua presença nas águas do Mar Negro.

    "A violação de fronteiras será controlada de maneira mais rigorosa, os helicópteros evitarão que navios turcos entrem em águas russas", completou Dandikin em declarações ao jornal Izvestia.

    Tema:
    Defesa da Rússia (214)

    Mais:

    Primeiro-ministro russo assina decreto para implementar sanções à Turquia
    Ex-chanceler da Áustria culpa a Turquia por queda do caça russo na Síria
    Turquia bloqueia navios russos em estreitos do mar Negro ou não?
    Turquia prende mais de mil refugiados a caminho da Europa
    OTAN aumentará capacidade defensiva da Turquia
    Tags:
    pirataria, helicópteros, patrulha, fronteira, Ka-32, Ka-226T, Estado Islâmico, Daesh, Izvestia, Síria, Mar Negro, Mar Cáspio, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik