15:39 27 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    6554
    Nos siga no

    A China assinou um contrato com a Rússia para compra de 24 caças multifuncionais Su-35 no valor estimado de 2 bilhões de dólares, informou a imprensa russa nesta quinta-feira.

    A informação sobre o acordo foi confirmada pelo diretor geral da corporação estatal russa Rostec, Sergei Chemezov. “As longas negociações sobre a venda dos Su-35 para a China foram concluídas, nós assinamos o contrato”, disse o empresário.

    Segundo as condições do contrato, as Forças Aéreas da China receberão 24 caças no valor total de 2 bilhões de dólares (cerca de 83 milhões de dólares por unidade), informou a imprensa, citando fontes na área de cooperação técnico-militar. “A China, oficialmente, se tornou no primeiro cliente estrangeiro do modelo Su-35. É um contrato sem precedentes na história de vendas de aeronaves militares”, informou o interlocutor do jornal russo Kommersant. 

    Na quarta-feira, durante a reunião da comissão intergovernamental de cooperação técnico-militar Rússia-China, foram determinados os principais vetores de parceria. As partes anunciaram o interesse na expansão da cooperação na área de motores para aeronaves.  

    Su-35 é um caça à jato multifuncional russo da geração 4++, desenvolvido pela empresa Sukhoi. É uma versão profundamente modernizada da plataforma T-10C. A geração 4++ é uma classificação atribuída à aeronaves, cujas características somadas se aproximam das aeronaves de quinta geração, pois atendem às exigências para esse tipo de caças, mas não utilizam a tecnologia Stealth e a tecnologia de radar de varredura eletrônica ativa(AESA).

    Mais:

    Rússia negocia fornecimento de caças Su-35 com Emirados Árabes
    Indonésia substituirá caças americanos pelos russos Su-35
    Indonésia mostra interesse na compra de caças russos Su-35
    Ministério da Defesa da Rússia receberá 48 novos caças Su-35
    Tags:
    Defesa, Su-35, Força Aérea da Rússia, Força Aérea, Rostec, Sergei Chemezov, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar