13:39 18 Junho 2019
Ouvir Rádio
    The Medium Extended Air Defense System (MEADS), built by US-based defense contractor Lockheed Martin

    Alemanha encomenda novos navios e sistemas antiaéreos

    © AP Photo / Lockheed Martin
    Defesa
    URL curta
    1732

    O governo alemão comprará um novo sistema de defesa antiaérea e quatro navios de guerra nos próximos anos a um preço total de quase 8 bilhões de euros, anunciou nesta terça-feira o Ministério da Defesa.

    O chefe militar General Volker Wieker afirmou que a Alemanha planeja adquirir Sistemas de Defesa Antiaérea Medium Extended (MEADS). O sistema, desenvolvido pela empresa europeia MDBA e pela americana Lockheed, vai substituir o atual sistema Patriot até 2025.

    A Alemanha usa o sistema Patriot desde 1989. A empresa americana Raytheon, fabricante do sistema, lançou uma versão atualizada, mas perdeu a disputa para garantir um novo contrato com o governo alemão.

    A imprensa da Alemanha afirma que seus militares querem comprar de oito a dez unidades do sistema, mas o governo ainda não anunciou oficialmente seus planos. A aquisição do MEADS custará cerca de 4 bilhões de euros, informou a Associated Press.

    A Alemanha também pretende gastar 3,9 bilhões de euros em quatro navios de guerra. O Ministério da Defesa está recebendo propostas de toda a Europa. A primeira embarcação deve ser entregue em 2023.

    Segundo seus desenvolvedores, os sistemas MEADS tem um arco de artilharia de 360 graus, o que significa que pode defender contra ataques com mísseis multiplos, vindos de diferentes direções, ao mesmo tempo.

    Mais:

    Pinturas de Adolf Hitler vão a leilão na Alemanha
    Bélgica investiga espionagem da Alemanha a favor dos EUA
    Mídia: Alemanha ganhou organização da Copa 2006 em troca de fornecimento de armas
    Alemanha e França planejam desenvolver novo tanque para competir com o Armata
    Tags:
    investimentos, Defesa, sistema de defesa costeira, sistema antiaéreo, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar