15:33 21 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Topol M missile system shown at Alabino training ground near Moscow

    Especialista francês diz que Rússia destruiria os EUA em caso de uma guerra nuclear

    © Sputnik/ Iliya Pitalev
    Defesa
    URL curta
    19117690937957

    O editor do portal francês Europesolidaire, Jean-Paul Baquiast, afirmou que uma potencial guerra nuclear entre EUA e a Rússia teria consequências fatais para os norte-americanos, cujo território, segundo ele, seria completamente destruído em caso de uma troca de mísseis.

    Seu comentário veio na sequência da recente especulação na internet sobre uma possível intenção dos EUA de realizar um ataque nuclear preventivo contra a Rússia. As preocupações aumentaram depois que Robin Geral Rand foi apontado como chefe do Comando de Ataque Global da Força Aérea norte-americano.

    Há hipóteses de que ele poderia ter como exemplo o General Curtis LeMay, que se tornou famoso em 1949 por criar um plano dos EUA para um ataque nuclear maciço sobre a União Soviética.

    “Não é possível subjugar a Rússia por métodos convencionais. Washington se prepara para destruí-la com as suas forças armadas”, escreveu Jean-Paul Baquiast. Em caso de um conflito armado, os norte-americanos podem realizar um ataque nuclear preventivo. "As chances dos EUA destruir a Rússia sem consequências para si são pequenas", disse o editor.

    “No entanto, mesmo o altamente eficiente sistema de mísseis S-500, que a Rússia está desenvolvendo atualmente, seria incapaz de proteger o país contra um lançamento massivo de mísseis balísticos de submarinos norte-americanos”, observou.

    “Por sua vez, a Rússia iria lançar seus mísseis a partir de seus submarinos ao largo da costa dos EUA. E se os norte-americanos conseguem atingir apenas uma parte do território russo, devido ao seu grande tamanho. Os EUA vão ser destruídos completamente”, o escreveu Baquiast.

    Tags:
    conflito armado, ataque, mísseis, guerra nuclear, S-500, Europesolidaire, Jean-Paul Baquiast, Curtis LeMa, Washington, França, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik