00:07 17 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Cultura
    URL curta
    Por
    3502
    Nos siga no

    Relatório do Insituto Pushkin aponta o russo como o quinto idioma mais competitivo do mundo. Como o russo se destaca das demais línguas globais e qual é a sua disseminação no Brasil?

    Nesta quinta-feira (10), o Instituto Estatal de Língua Russa Pushkin, apresentou o resultado de sua pesquisa anual sobre a posição da língua russa no mundo, na qual calcula o índice de competitividade global do idioma.

    O relatório examina não só o número de falantes nativos da língua, mas também a quantidade de sites na Internet, número de veículos de mídia e de publicações científicas no idioma.

    De acordo com os parâmetros da pesquisa, o russo é a quinta língua mais influente do mundo, à frente do português, árabe e alemão.

    A língua que obteve melhor desempenho no estudo foi o inglês, seguido do espanhol, francês e chinês.

    Mas como o russo se destaca das demais línguas mundiais? E qual o seu grau de inserção no Brasil?

    Língua russa no mundo

    A língua russa enfrenta desafios para manter a sua posição de língua de comunicação internacional.

    Apesar dos países da ex-União Soviética continuarem utilizando o idioma em instituições de ensino, a competição com idiomas nacionais é acirrada.

    Visitante da feira anual de livro da Praça Vermelha, em Moscou, Rússia, 7 de junho de 2020
    © Sputnik / Vladimir Trefilov
    Visitante da feira anual de livro da Praça Vermelha, em Moscou, Rússia, 7 de junho de 2020

    Em número de falantes nativos, o russo segue como o oitavo maior idioma do mundo, com 258 milhões de usuários da língua. O português está em nono lugar, com 252 milhões.

    No entanto, o russo realmente se destaca quando o assunto é a Internet. Em número de sites no idioma, o russo ocupa o segundo lugar desde 2013, atrás somente do inglês.

    "A posição da língua russa na Internet é bastante positiva", disse a coordenadora de pesquisadora do Instituto Pushkin, Maria Lebedeva, durante conferência de imprensa.

    "Uma comunidade de Internet que não é tão grande em número de pessoas conseguiu formar uma quantidade de sites significativa na 'runet' e colocar o russo em segundo lugar", disse Ledebeva.

    Estudante de programação em escola municipal russa, na cidade de Kazan, Rússia, 6 de fevereiro de 2020
    © Sputnik / Maksim Bogodvid
    Estudante de programação em escola municipal russa, na cidade de Kazan, Rússia, 6 de fevereiro de 2020

    O termo "runet" se refere à comunidade de Internet russa, que conta com empresas nacionais de relevância, como o buscador Yandex, o conglomerado Mail.ru e a rede social VKontakte.

    "Os sites em língua russa também são maioria nas redes de outros países, como a Ucrânia, Cazaquistão, Bielorrússia e Uzbequistão", revelou Lebedeva. "Nesses países, os sites em russo representam entre 60% a 85% do total, um número bastante elevado."

    A língua russa também se destaca em número de artigos acadêmicos publicados no idioma. Com 57.599 artigos publicados em 2019, a sua maioria em áreas como medicina e engenharia, o russo ocupa o quinto lugar.

    "Apesar de o status da língua russa como patrimônio comum na educação básica levantar dúvidas, na academia, a língua russa segue como língua unificadora", disse o pró-reitor de ciências do Instituto Pushkin, Mikhail Osadchy.

    Globalmente, a língua inglesa é a líder isolada em número de publicações científicas, com mais de seis milhões de artigos publicados em 2019, contra 96 mil do segundo colocado, o chinês.

    Poetisa Tatiana Stoyanova durante feira de livro na Praça Vermelha, em Moscou, Rússia, 7 de junho de 2020
    © Sputnik / Vladimir Trefilov
    Poetisa Tatiana Stoyanova durante feira de livro na Praça Vermelha, em Moscou, Rússia, 7 de junho de 2020

    "Compreendemos que, no mundo globalizado, existe uma língua internacional da ciência, que facilita o contato entre pesquisadores", disse Osadchy. "Mas não deixa de ser um fator de preocupação para a posição da língua russa no mundo."

    "Precisamos encontrar um meio-termo, como promover a publicação de versões russas de artigos em inglês escritos pelos nossos autores", propôs o pró-reitor.

    Nesse parâmetro, o português encontra-se em sétimo lugar, com cerca de 24.750 artigos publicados em 2019.

    Russo no Brasil

    No Brasil, o perfil de alunos empenhados em aprender o idioma russo é cada vez mais variado.

    Durante a pandemia, o Instituto Valeeva Rosa se destacou pelo investimento pesado em novas tecnologias de ensino a distância e redes sociais.

    "No começo, a maioria dos nossos estudantes eram intelectuais e linguistas [...], pessoas que têm interesse em [autores russos] como Fiódor Dostoiévski, Lev Tolstói, Mikhail Bulgákov e Mikhail Bákhtin", disse o professor de russo Felipe Valeeva Rosa à Sputnik Brasil.

    Dentre os jovens, "muitos têm o sonho de estudar em universidades russas, [...] em cursos como medicina e engenharia", relatou Felipe.

    Estudante prepara-se para realizar o exame nacional de língua russa, em Simferopol, Rússia, 6 de julho de 2020
    © Sputnik / Konstantin Mikhalchevsky
    Estudante prepara-se para realizar o exame nacional de língua russa, em Simferopol, Rússia, 6 de julho de 2020

    Os professores também identificam alunos que nutrem certa simpatia pelo passado soviético ou veem a Rússia como um país capaz de conter os EUA na arena internacional.

    "Os estudantes de russo se cansaram dos EUA e da Europa, já conhecem a cultura desses lugares", conta Felipe. "Nesse sentido, a Rússia vem como o sonho de algo novo."

    Além da política, "tenho alunos que querem estudar russo por conta do desenvolvimento da Rússia no ramo da informática", disse o professor.

    "Temos alunos que admiram os programadores russos", disse a professora Roksana Valeeva Rosa à Sputnik Brasil. "Eles querem aprender o idioma para poder entender os cursos que programadores russos disponibilizam de graça no YouTube."

    Estudante faz prova de russo durante concurso nacional na Universidade Federal dos Urais, Ekaterinburgo, Rússia, 17 de outubro de 2020
    © Sputnik / Pavel Lisitsyn
    Estudante faz prova de russo durante concurso nacional na Universidade Federal dos Urais, Ekaterinburgo, Rússia, 17 de outubro de 2020

    Para ampliar o acesso ao idioma, o Instituto Valeeva Rosa montou um curso do idioma on-line de baixo custo, chamado "Democratizando o Russo".

    "Com o projeto 'Democratizando o Russo' vieram alunos com perfis mais variados, que, se por um lado nem sempre tem conhecimento da base gramatical, por outro tem mais tempo para estudar", disse Roksana à Sputnik Brasil.

    Os alunos que buscam esse formato estão mais interessados em atingir um bom nível de conversação em russo.

    Segundo Felipe, os alunos do "Democratizando" querem aprender o russo para "se tornar poliglotas" ou melhorar a dinâmica de seus relacionamentos.

    "Tenho um aluno que é casado e tem filhos com uma russa", contou Roksana. "O sonho dele é poder ler livros infantis em russo para a sua filha."

    Roksana sente-se à vontade com o ensino de um russo menos "acadêmico", voltado mais para a "vida real"

    "Gosto de formular exercícios baseados naquilo que eu vi e vivi na minha experiência em São Petersburgo", disse a professora. "Frases que usamos todos os dias."

    Roksana e Felipe Valeeva Rosa, fundadores do Instituto Valeeva Rosa, em São José dos Campos (SP), 10 de novembro de 2020
    © Foto / Felipe Valeeva Rosa
    Roksana e Felipe Valeeva Rosa, fundadores do Instituto Valeeva Rosa, em São José dos Campos (SP), 10 de novembro de 2020

    O enfoque na conversação, no entanto, não diminui o nível de engajamento demandado para aprender o idioma.

    "Eu sou bem realista com os meus alunos, digo que, sim, é [um idioma] difícil, que dá para aprender tranquilamente, mas precisa estudar", alertou Felipe.

    Segundo Roksana, em cerca de um ano, o aluno atinge o nível de conversação necessário para poder conhecer a Rússia falando o idioma.

    Nesta quinta-feira (11), o Instituto Estatal de Língua Russa Pushkin apresentou durante conferência de imprensa seu relatório anual sobre a posição da língua russa no mundo, que calcula o índice de competitividade dos principais idiomas globais.

    Mais:

    Qual é a 'arma secreta' da Rússia para ganhar influência na África?
    Quarentena com Sputnik Brasil: conheça o Museu Hermitage sem sair de casa
    “Modo de sentir russo é parecido com brasileiro”, diz tradutora
    Tags:
    professores, escolas, idioma russo, idiomas, língua russa, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar