17:56 23 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Cultura
    URL curta
    Por
    2200
    Nos siga no

    A Sputnik Brasil leva você para um inesquecível tour virtual de um dos principais museus de arte do mundo, o Hermitage.

    Em quarentena, nos perguntamos não só quando poderemos voltar a reunir amigos e familiares, mas também quando poderemos viajar ao exterior novamente. Por causa da pandemia de COVID-19, as fronteiras da Rússia estão praticamente fechadas, e os voos deixando o Brasil com rumo à Europa estão cada vez mais escassos.

    Por isso, hoje a Sputnik Brasil decidiu trazer um dos maiores tesouros da Rússia para dentro da sua casa, com um tour virtual do museu Hermitage, em São Petersburgo. Para entrar nas salas do museu, é só clicar na parte sublinhada do texto.

    Vamos entrar juntos no Palácio de Inverno, que foi a residência de alguns czares da dinastia Romanov, pela Escadaria do Embaixador, que nos dá a dimensão da beleza arquitetônica do Museu Hermitage.

     Torcedor admira obra de Leonardo da Vinci no museu Hermitage, durante a Copa do Mundo de 2018, na Rússia
    © Sputnik / Yevgeny Biyatov
    Torcedor admira obra de Leonardo da Vinci no museu Hermitage, durante a Copa do Mundo de 2018, na Rússia

    Um dos lugares mais impressionantes dessa ala do museu é a Sala Militar, projetada para comemorar a vitória do Império Russo sob Napoleão Bonaparte, em 1814. Aqui vemos mais de 300 retratos de comandantes militares russos e, no centro, o czar Alexandre I, montado em um cavalo branco, marchando sobre Paris.

    Seguindo em frente, entramos na Sala do Trono, com uma enorme representação em mármore de São Jorge, o padroeiro da dinastia Romanov. Caso queira uma trilha sonora para visitar essa sala, recomendamos um belo concerto do compositor russo Tchaikovsky.

    Escadaria do Embaixador, na entrada do Palácio de Inverno do museu Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia
    © Sputnik / Aleksei Danichev
    Escadaria do Embaixador, na entrada do Palácio de Inverno do museu Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia

    No Palácio de Inverno estão uns dos quadros mais importantes da pintura mundial. Na sala do pintor holandês Rembrandt (1606-1669), podemos conhecer o quadro "Danae" (1636). Pintura excepcional e cheia de mistérios, foi atacada por um maníaco armado com uma faca e ácido no ano de 1985. Restaurado, o quadro voltou a ser exibido ao lado de outras obras-primas de Rembrandt, como o "Sacrifício de Isaac" (1635) e "A Volta do filho Pródigo" (1668).

    Seguimos para a sala dedicada ao pintor flamenco Peter Paul Rubens (1577-1640) que, além de ter um teto impressionante, guarda alguns tesouros, como o quadro "União da Terra e da Água" (1618), no qual Netuno, o deus da água, encontra Cibele, a mãe dos deuses, para trazer prosperidade aos homens.

    Quadro do pintor holandês Rembrandt (1606-1669), “Danae” (1636), em exposição no Palácio de Inverno do Museu Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia
    © Sputnik / Aleksei Danichev
    Quadro do pintor holandês Rembrandt (1606-1669), “Danae” (1636), em exposição no Palácio de Inverno do Museu Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia

    Vamos prosseguir para as salas de arte moderna. Mas, antes de chegar lá, passemos por uma galeria de 62 metros de extensão e coberta por nove cúpulas para visitar a escultura de mármore "Três Graças", do escultor italiano Antonio Canova (1757-1822).

    Arte moderna

    Vamos entrar no Palácio do Estado-Maior, edifício com fachada em forma de arco que fica na praça do Palácio, na frente do Palácio de Inverno. Recentemente, o Museu Hermitage transferiu para cá toda a sua coleção de arte dos séculos XIX, XX e XXI.

    Aqui está reunida uma das maiores coleções de arte francesa do mundo. Por isso, não podemos deixar de visitar os celebrados painéis "Dança e Música" (1910) de Henri Matisse (1869-1954). Durante a Segunda Guerra Mundial e o Cerco a Leningrado, as obras foram evacuadas do museu. Após permaneceram anos escondidas em um depósito, voltaram a ser expostas ao público na década de 60.

    Painél Dança (1910), de Henri Matisse (1869-1954), em exposição no Museu Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia
    © Sputnik / Vladimir Vyatkin
    Painél "Dança" (1910), de Henri Matisse (1869-1954), em exposição no Museu Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia

    Passemos também pelas salas dedicadas a Pablo Picasso(1881-1973), para ver a obra "Camponesa" (1908) e "Mulher Tomando Absinto" (1901), que fornece um retrato, bastante familiar em tempos de quarentena, da reflexão solitária.

    Por último, vamos visitar a sala do pintor holandês Vicent van Gogh (1853-1890) para ver "Mulheres de Arles" (1888). Nessa sala, podemos ver, através da janela, o Palácio de Inverno do Hermitage, do outro lado da Praça do Palácio.

    Foto da década de 70 mostra a Praça do Palácio, a partir do arco do Palácio do Estado-Maior. Ao fundo, o Palácio de Inverno, em São Petersburgo, Rússia
    © Sputnik / IVan Denisenko
    Foto da década de 70 mostra a Praça do Palácio, a partir do arco do Palácio do Estado-Maior. Ao fundo, o Palácio de Inverno, em São Petersburgo, Rússia

    A Sputnik Brasil convida você para ver as demais obras em exposição virtual no Hermitage, de artistas como Leonardo da Vinci, Titian, Goya e El Greco, no Palácio de Inverno, e de Gaugin, Cézanne, Renoir, Monet, no Palácio do Estado-Maior. Desejamos uma ótima quarentena para todos.

    Mais:

    Quarentena com Sputnik Brasil: melhor comédia soviética com máquina do tempo e czar russo
    Quarentena com Sputnik Brasil: ficção científica russa pode trazer respostas em tempos de COVID-19
    Quarentena com Sputnik Brasil: filme russo apresenta o outro lado da história de Anna Karenina
    Quarentena com Sputnik Brasil: filme 'Vá e Veja' mostra a verdadeira face da guerra
    Quarentena com Sputnik Brasil: animações russas nos levam ao lado oculto da Lua
    Tags:
    cultura russa, Rússia, Museu Hermitage, quarentena, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar