00:18 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Parte histórica de Palmira destruída pelos terroristas do Daesh, Síria, 27 de março de 2016

    Ministro sírio: comunidade internacional é responsável pelos crimes bárbaros em Palmira

    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Cultura
    URL curta
    25100
    Nos siga no

    O ministro sírio do Patrimônio Cultural Muhammed Ahmed disse à Sputnik Turquia que a comunidade internacional é responsável pelas destruições bárbaras em Palmira. Segundo ele diz, os apoiantes árabes e ocidentais dos terroristas têm a mesma culpa que os próprios terroristas.

    Segundo o ministro, agora em alguma mídia e nas redes sociais está sendo discutido o tema das destruições em Palmira criando uma imagem deformada. Eles dizem que as destruições foram provocadas por as tropas russas terem retirado da cidade. É uma verdadeira mentira que tem como objetivo fomentar o ódio.

    Um grande papel foi desempenhado pelos países do Golfo Pérsico que apoiam os terroristas com armas e financiamento. Os grupos armados, em cooperação com os sionistas e outras partes interessadas, estão destruindo a história milenar em território sírio.

    "Muitos países do Ocidente e do Oriente não precisam de uma Síria independente que possui riquezas e patrimônio cultural que ela protege. Para isso eles formaram um grupo de patifes de todo o mundo que foi enviado para combater na Síria para quebrar a vontade do povo sírio e transformar o país em uma colônia. Vivemos já no século XXI e eles tentam destruir nossos laços com a grande cultura para que o povo sírio esqueça sua identidade. Eles estão destruindo não só monumentos, mas também escolas, mesquitas e igrejas", comunicou o ministro à Sputnik Árabe.

    O que se toca aos danos provocados pelos terroristas, eles não podem ser subestimados. Cada dia de governança do Daesh é perigoso para os monumentos culturais e históricos.

    "Nos, os sírios, sempre acreditamos que o nosso país recupere e vença nesta guerra longa e injusta. Temos que cumprir uma grande missão para provar que a Síria, que foi sempre considerada como berço da civilização, não possa ser transformada em área para promoção de diversas ideias criminosas", adiantou Muhammed Ahmed.

    ​Os tesouros da Palmira pertencem não só à Síria, mas a todo o mundo. Por isso, todo o mundo deve ser responsável pelos crimes bárbaros sem precedentes que agora estão decorrendo aí.

    ​Segundo o ministro, os monumentos da cultura da Síria devem divulgar ideias de paz e de humanismo.

    Mais:

    Teerã falou sobre significado estratégico de Aleppo e Palmira
    Exército sírio repele forte ataque do Daesh perto de Palmira
    Tags:
    monumentos, danos, tema, combate, culpa, destruição, história, patrimônio cultural, terrorismo, Palmira, Golfo Pérsico, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar