01:29 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Cultura
    URL curta
    3 0 0
    Nos siga no

    O fotógrafo Sebastião Salgado recebeu na noite desta quinta-feira (27) o Prêmio Personalidade da Câmara de Comércio França-Brasil, no Rio de Janeiro, por sua contribuição artística, humanitária e socioambiental.

    Salgado aproveitou a premiação para falar das mudanças bruscas que a nossa espécie vem provocando no planeta, que levaram à destruição de ambientes naturais e de civilizações primitivas e que podem levar a própria humanidade a uma situação sem volta.

    Na opinião do fotógrafo, a nossa espécie está vivendo completamente fora da realidade, consumindo muito mais do que o planeta pode dar e indo para um “buraco sem saída”.

    “Não é uma crise do capitalismo. É muito mais do que isso. É a crise existencial de uma espécie. Vamos ter que fazer uma autocrítica de toda nossa maneira de viver, de consumir, se comportar e se relacionar. Eu tenho uma grande esperança no planeta, mas não sei se a espécie humana vai sobreviver, estamos indo diretamente contra a parede. É uma crise planetária” – explicou Salgado, segundo relata Agência Brasil.

    Salgado disse que a atual geração vai ser cobrada no futuro por tudo o que está fazendo em prejuízo do planeta. “Para construir esta sociedade moderna, nós deixamos um deserto atrás. (…) Temos uma quantidade de terras desbravadas no Brasil que não utilizamos. Nós usamos um terço das terras que foram desmatadas, o resto está abandonado” – explicou.

    Economista por formação, Salgado já percorreu todos os continentes da Terra, desde 1973, quando se iniciou na carreira de fotógrafo, após uma viagem à África. Autor de vários livros de fotografia, frutos de projetos elaborados ao longo de anos, incluindo Trabalhadores, Terra, Outras Américas, Êxodos e Gênesis, ele faz uma análise pouco otimista da atuação da civilização moderna sobre o planeta, que estaria chegando perto do limite de exaustão.

    Tags:
    fotógrafo, opinião, crise, Sebastião Salgado, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar