02:09 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    A réplica da cidade de Londres em 1666 queimada no festival London's Burning de 2016

    Londres vive de novo o seu maior incêndio (VÍDEO)

    © AP Photo/ AP
    Cultura
    URL curta
    0 85714

    A cidade, toda de madeira, flutuava, em chamas, sobre o rio Tamisa. Era uma cópia, uma maquete enorme que foi construída com o intuito de comemorar o Grande Incêndio, que, em 2 de setembro do ano de Deus de 1666, destruiu a maior parte da cidade.

    O fogo começou de manhã cedo em uma padaria na rua Pudding Lane, e se espalhou por toda a cidade, cujos prédios então eram quase todos de madeira. Mais de 70.000 pessoas perderam o teto — e o mundo perdeu vários prédios históricos, como a Catedral de São Paulo.

    Apesar do dano sofrido pela capital inglesa, as autoridades souberam reagir e começaram uma reconstrução de larga escala.

    Ruptly
    Londres vive mais uma vez o seu maior incêndio

    A réplica usada no final de semana passado foi construída pelo grupo artístico Artichoke, junto com o artista David Best. Tem 400 pés (cerca de 120 metros) de comprimento e é muito detalhada.

    O festival London´s Burning, que teve lugar de 30 de agosto até 4 de setembro, é, segundo Helen Marriage, diretora do Artichoke, "uma responsa artística que lida com o impacto que o Grande Incêndio de Londres teve na cidade, e como ela emergiu das cinzas e se desenvolveu até se tornar uma cidade mundial como ela é agora".

    A réplica da cidade de Londres em 1666 queimada no festival London's Burning de 2016
    A réplica da cidade de Londres em 1666 queimada no festival London's Burning de 2016

    Durante a simulação do incêndio, barcos de bombeiros patrulhavam o local; depois do fim da mesma, o fogo foi extinto.

    Mais:

    Vândalos causam incêndio na sede do canal Inter em Kiev
    Aviões anfíbios russos extinguem mais um foco de incêndio em Portugal
    Bombeiros controlam grande incêndio no sul de Londres
    Tags:
    história, incêndio, Londres, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik